Download - OoCities

Transcript
Capítulo 39. SAMBA
598
• Elas não são armazenadas no disco da estação cliente.
• Você não será perguntado por uma senha durante cada reconexão de recurso.
Antes de optar por utilizar um sistema de senhas em texto plano, leve em consideração estes
pontos. Se você já utiliza telnet ou ftp, provavelmente a utilização de autenticação usando
texto plano no SAMBA não trará problemas mais graves para você.
OBS: Caso seu NT ou versão derivada não navegue no ambiente de rede (só aceitando conexões especificando diretamente o ”\\servidor\compartilhamento“) modifique sua configuração do SAMBA para autenticar usando senhas criptografadas (veja ‘Ativando o suporte a
senhas criptografadas’ on page 578) para detalhes de como fazer isto.
39.12.16
Mapeamento de nomes de usuários
Este recurso faz a mapeamento (tradução) de nomes de usuários usados no momento do acesso
para contas de acesso locais, bastante útil quando o nome de usuário enviado pela máquina
não confere com NENHUMA conta local do sistema (um exemplo é quando o login do usuário
no Windows é diferente de seu Login no Linux). Outro vantagem de seu uso é permitir que
uma categoria de usuários utilizem um mesmo nível de acesso no sistema.
Seu formato é o seguinte: username map = arquivo.
As seguintes regras são usadas para construir o arquivo de mapeamento de nomes:
• Um arquivo de múltiplas linhas onde o sinal de ”=“ separa os dois parâmetros principais. O arquivo é processado linha por linha da forma tradicional, a diferença é o que
o processamento do arquivo continua mesmo que uma condição confira. Para que o
processamento do resto do arquivo seja interrompido quando um mapeamento confira,
coloque o sinal ”¡‘ na frente do nome local.
• O parâmetro da esquerda é a conta Unix local que será usada para fazer acesso ao compartilhamento. Somente uma conta Unix poderá ser utilizada.
• O parâmetro da direita do sinal de ”=“ pode conter um ou mais nomes de usuários separados por espaços que serão mapeados para a conta Unix local. O parâmetro ”@grupo“
permite que usuários pertencentes ao grupo Unix local sejam mapeados para a conta de
usuário do lado esquerdo. Outro caracter especial é o ”*“ e indica que qualquer usuário
será mapeado.
Você pode utilizar comentários na mesma forma que no arquivo de configuração smb.conf.
Alguns exemplos:
# Mapeia o usuário "gleydson mazioli" com o usuário local gleydson
gleydson = gleydson mazioli
# Mapeia o usuário root e adm para o usuário nobody
nobody = root adm
# Mapeia qualquer nome de usuário que pertença ao grupo smb-users para o usuár
# samba.
samba = @smb-users