Download MANUAL DE PROGRAMACÃO MANUAL DO USUÁRIO

Transcript
MANUAL
DO USUÁRIO
MANUAL
DE
PROGRAMACÃO
Versão de software 3.5.x
Versão de firmware 3.5.x
www.quercus.biz
www.quercus-technologies.com
www.quercus.com.br
Manual do usuário do SmartLPR® Speed (v 3.5.x)
Janeiro de 2014
® 2014 Quercus Technologies. Direitos reservados.
Este manual, assim como o sistema que ele descreve, são fornecidos mediante licença e só podem ser usados de
acordo com os termos descritos na mencionada licença. O conteúdo deste manual é oferecido exclusivamente para uso
informativo e pode ser alterado sem prévio aviso. Nenhuma parte desta publicação deve ser reproduzida, localizada
num sistema de distribuição ou divulgada de qualquer forma sem o consentimento prévio de Quercus Technologies.
Precauções de segurança
RADIAÇÃO LED
NÃO OLHAR DIRETAMENTE ATRAVÉS DE INSTRUMENTOS ÓPTICOS (LUPAS, LENTES
DE AUMENTO OU MICROSCÓPIOS)
PRODUTO LED DE CLASSE 1M
●
POTÊNCIA ÓTICA EMITIDA MÁXIMA: 29W
●
POTÊNCIA ÓTICA MEDIA: 0,9W
●
DURAÇÃO DOS IMPULSOS: impulsos de 1 ms com intervalos de descanso de 15ms.
●
COMPRIMENTO DE ONDA: 850 nm
●
PRODUTO LED DE CLASSE 1M, em conformidade com a norma UNE-EN 62471:2009
Não olhar diretamente ao foco da unidade a curta distância (20 cm) durante períodos
de tempo superiores a 30 segundos. O foco emite luz infravermelha imperceptível
para o olho humano, mas que pode causar danos à retina se esta se expõe
prolongadamente a seu efeito.
Se achar que o foco não está funcionando corretamente e deseja fazer uma verificação, utilize
a ferramenta de diagnóstico da unidade, ponha a câmera ao vivo e aponte para um objeto
refletor. Outro método simples para verificar o funcionamento do foco é colocar também ao
vivo a câmera da unidade e apontar para o foco com uma câmera digital (por exemplo, a de
um celular). Na câmera digital, verá os LED's brilhando (devido à sensibilidade dessas câmeras
ao infravermelho).
Índice
Conceitos básicos...........................................................................................................8
1. Introdução.............................................................................................................9
1.1. O que é o SmartLPR® Speed............................................................................9
1.2. Descrição do sistema........................................................................................9
1.3. Modos de funcionamento..................................................................................9
1.4. Modelos disponíveis........................................................................................10
1.5. Componentes opcionais..................................................................................10
1.6. Integração....................................................................................................11
1.6.1. Alternativas de desenvolvimento...............................................................11
1.6.2. Alternativas de comunicação.....................................................................12
1.6.2.1. Um sistema central único e UDP.........................................................12
1.6.2.2. Um sistema central por via e UDP.......................................................13
1.6.2.3. Um sistema central por via e RS-232..................................................13
1.7. Política de atualizações e compatibilidade..........................................................13
1.7.1. Números de versão..................................................................................14
1.7.2. Compatibilidade entre versões..................................................................14
2. Passos anteriores à instalação................................................................................15
2.1. Projeto e execução da obras de construção civil.................................................15
2.2. Cabeamento..................................................................................................18
3. Material fornecido.................................................................................................19
3.1. Itens do material...........................................................................................19
3.2. Componentes opcionais..................................................................................19
Software.....................................................................................................................20
4. Introdução...........................................................................................................21
5. Instalação do software do cliente............................................................................22
5.1. Instalação em Windows..................................................................................22
5.2. Instalação em GNU/Linux................................................................................22
5.2.1. Dependências.........................................................................................22
5.3. Arquivos instalados........................................................................................22
6. Configuração do sistema central.............................................................................25
6.1. Seção [Global]...............................................................................................25
6.2. Seção [Network]............................................................................................25
6.3. Seção [RemoteSystems].................................................................................26
6.4. Seção [RemoteSystemX].................................................................................26
6.5. Seção [LaneY]...............................................................................................26
7. Ferramenta de diagnóstico.....................................................................................28
7.1. Barra de estado.............................................................................................28
7.2. Barra de botões.............................................................................................29
7.3. Zona principal................................................................................................30
7.3.1. Situação.................................................................................................31
7.3.2. Eventos..................................................................................................32
7.3.3. Histórico.................................................................................................34
7.3.4. Câmera ao vivo.......................................................................................36
7.3.4.1. Focagem numérica/gráfica.................................................................37
7.3.5. Estatísticas.............................................................................................38
7.3.6. Configuração..........................................................................................40
7.3.7. FTP........................................................................................................40
Hardware....................................................................................................................43
8. Descrição física do equipamento.............................................................................44
8.1. Pinouts.........................................................................................................44
8.1.1. Rede Ethernet.........................................................................................44
8.1.2. Conexões seriais.....................................................................................45
8.1.3. E/S........................................................................................................45
8.2. Características das comunicações seriais...........................................................45
8.3. Características do sistema de E/S.....................................................................45
8.3.1. Entradas................................................................................................45
8.3.2. Saídas....................................................................................................46
8.4. Controle de temperatura.................................................................................47
9. Firmware.............................................................................................................48
9.1. Configuração principal do sistema....................................................................50
9.1.1. Variáveis................................................................................................51
9.1.1.1. Communications...............................................................................51
9.1.1.2. Engine.............................................................................................52
9.1.1.3. Global.............................................................................................53
9.1.1.4. IO...................................................................................................54
9.1.1.5. OSD................................................................................................54
9.1.1.6. PPU.................................................................................................55
9.1.1.7. Recolhnizer......................................................................................55
9.1.1.8. Serial..............................................................................................57
9.2. Importar configuração de FTP..........................................................................57
9.3. Exportar configuração para FTP........................................................................58
9.4. Alterar senha de configuração..........................................................................58
9.5. Aplicar alterações e reiniciar............................................................................58
9.6. Descartar mudanças.......................................................................................58
9.7. Informações sobre o sistema...........................................................................58
9.8. Registro do leitor de placas.............................................................................59
9.9. Registro do adaptador serial............................................................................59
9.10. Registro do disco de dados............................................................................59
9.11. Registro do sistema de configuração. .............................................................59
9.12. Ver dados de reconhecimentos recentes..........................................................59
9.13. Ver últimas imagens captadas........................................................................60
9.14. Exportar relatório de estado a FTP..................................................................60
9.15. Informação de contato..................................................................................60
9.16. Ajustar data e hora.......................................................................................60
9.17. Sincronizar hora com o servidor.....................................................................60
9.18. Atualizar firmware........................................................................................61
9.18.1. Passos anteriores a atualização...............................................................61
9.18.2. Atualização...........................................................................................61
9.19. Restabelecer firmware original.......................................................................62
9.20. Formatar o disco de dados.............................................................................63
9.21. Restauração dos parâmetros de configuração...................................................64
9.22. Restauração de emergência do firmware.........................................................64
10. Instalação passo a passo.....................................................................................66
10.1. Instalação na parede....................................................................................66
10.2. Instalação em teto.......................................................................................67
10.3. Instalação em mastro vertical........................................................................68
10.4. Procedimentos comuns.................................................................................69
10.5. Ajuste da óptica...........................................................................................71
10.6. Configuração básica do firmware....................................................................72
10.7. Fechamento da unidade................................................................................73
Apêndices....................................................................................................................74
11. Apêndice A: SmartLPR® Power Process Unit...........................................................75
11.1. Introdução..................................................................................................75
11.1.1. O que é o SmartLPR® Power Process Unit................................................75
11.1.2. Compatibilidade.....................................................................................75
11.1.3. Capacidade...........................................................................................75
11.1.4. Integração............................................................................................75
11.2. Descrição física do equipamento.....................................................................76
11.2.1. Componentes........................................................................................76
11.2.2. Instalação elétrica.................................................................................76
11.2.3. Cabeamento.........................................................................................76
11.3. Firmware.....................................................................................................76
11.3.1. Variáveis..............................................................................................77
11.3.1.1. Communications.............................................................................77
11.3.1.2. Engine...........................................................................................77
11.3.1.3. Global...........................................................................................77
11.4. Instalação passo a passo...............................................................................78
11.4.1. Instalação física.....................................................................................78
11.4.2. Atualização do software cliente................................................................78
11.4.3. Configuração do módulo SmartLPR® Power Process Unit............................79
11.4.4. Configuração da unidade SmartLPR® ......................................................79
11.5. Especificações técnicas..................................................................................80
12. Apêndice B: especificações técnicas.......................................................................81
12.1. Modelos de corrente contínua........................................................................81
12.2. Modelos de corrente alternada.......................................................................83
13. Apêndice C: Certificações CE................................................................................84
14. Apêndice D: certificação FCC................................................................................88
15. Apêndice E: em caso de avaria.............................................................................91
16. Apêndice F: suporte............................................................................................92
17. Apêndice G: valores de [Global] TimeZone.............................................................93
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Conceitos básicos
Conceitos básicos
Nesta seção se faz um resumo básico das características de um sistema SmartLPR® Speed.
Nela podem-se ver aspectos como o funcionamento básico do sistema, os modelos disponíveis,
as diversas alternativas de desenvolvimento e comunicações de que dispõe, bem como os
passos prévios à instalação do equipamento.
Quercus Technologies
8
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Conceitos básicos
1. Introdução
1.1. O que é o SmartLPR® Speed
O SmartLPR® Access é um sistema LPR especialmente concebido para a utilização em vias de
acesso abertos (sem barreira), onde os veículos podem circular a velocidades elevadas 1.
SmartLPR® Speed baseia-se no conceito All-in-One, que reúne num mesmo equipamento todas
as operações necessárias para a leitura do número das placas (aquisição da imagem e ulterior
processamento), de forma que a instalação resulta muito mais simples que nos sistemas que
utilizam uma unidade de captação e uma unidade de processo separadas.
1.2. Descrição do sistema
O SmartLPR® Speed é composto por um único equipamento hardware que deve ser instalado
em cada um das pistas a controlar.
Este equipamento integra todos os elementos necessários para a E/S de sinais, as
comunicações, a iluminação da cena, a captação das imagens e o processamento das mesmas.
1.3. Modos de funcionamento
O propósito principal do SmartLPR® Speed é proporcionar ao aplicativo cliente, seja qual for
sua natureza, a placa dos veículos que circulam pelas pistas controladas.
O sistema dispõe de três modos de trabalho. Estes modos são:
●
Contínuo: SmartLPR® Speed capta e processa imagens de forma contínua e indefinida.
O resultado da melhor leitura para cada veículo é notificado ao aplicativo cliente.
●
Software Trigger: o aplicativo cliente notifica ao SmartLPR® Speed a presença de um
veículo. De forma imediata, capta-se e processa-se a imagem do veículo. O resultado
obtido é notificado ao aplicativo cliente.
●
Trigger Hardware: o SmartLPR® Speed recebe diretamente de um sensor, fisicamente
instalado na via, o sinal de presença de um veículo. O aplicativo cliente é notificado
imediatamente deste fato. Em seguida, capta-se e processa-se a imagem do veículo. O
resultado obtido é notificado ao aplicativo cliente. Quando o veículo abandona a via,
informa-se de novo ao aplicativo cliente.
1
A taxa de reconhecimento do equipo não é afectada por velocidades áte 200km/h. Por velocidades superioras,
essa taxa pode diminuir.
Quercus Technologies
9
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Conceitos básicos
1.4. Modelos disponíveis
Existem múltiplos modelos de unidade SmartLPR ® Speed que permitem ajustar-se às
necessidades de cada caso. Os critérios conforme os quais podem ser classificar os modelos
são os seguintes.
Número de países simultâneos
●
SmartLPR® Speed: limitado a reconhecer as placas de 5 países simultaneamente.
●
SmartLPR® Speed Plus: sem limitação de países simultâneos2.
Tipo de alimentação elétrica
●
Corrente alternada: funciona tanto em redes de 110Vac como de 240Vac, e tanto de
50Hz como de 60Hz.
●
Corrente contínua: requer alimentação a partir de uma rede de 12Vdc.
Controle de temperatura
●
Sem módulo de controle de temperatura: não proporciona proteção perante
temperaturas extremas.
●
Com
módulo
de
controle
de
temperatura:
proporciona
proteção
perante
temperaturas extremas e aumenta a gama de funcionamento.
Todos os modelos são absolutamente compatíveis (a nível de software) entre si e podem-se
misturar numa mesma instalação sem qualquer problema. Consulte as tabelas no fim deste
manual para conhecer as referências e especificações técnicas de cada modelo.
1.5. Componentes opcionais
Os seguintes componentes estão disponíveis para modelos de carcaça.
●
Suporte para parede: com cabeçote rotativo e basculante, que permite fixar o
equipamento a qualquer parede e direcioná-lo corretamente.
●
Suporte para teto: com cabeçote rotativo e basculante, que permite fixar o
equipamento a qualquer teto e direcioná-lo corretamente.
●
Suporte para mastro: usado juntamente com o suporte para parede ou suporte para
teto, permite fixar o equipamento em tubos verticais ou horizontais.
2
Não recomenda-se a ativar o reconhecimento de mais países estritamente necessários, já que afeta negativamente
o rendimento do sistema.
Quercus Technologies
10
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Conceitos básicos
1.6. Integração
O SmartLPR® Speed se comunica com a o aplicativo do cliente através do protocolo descrito no
manual de programação SmartLPR® Programming. O mesmo protocolo é usado para a
comunicação RS-232 e UDP/Ethernet.
1.6.1. Alternativas de desenvolvimento
Para a comunicação UDP/Ethernet o protocolo encontra-se coberto por bibliotecas C e C++,
compatíveis com o Microsoft Windows e o GNU/Linux. Estas bibliotecas simplificam a
comunicação do aplicativo cliente com vários equipamentos SmartLPR® Speed e agregam
certas funcionalidades, como o registro de históricos.
Detalham-se a seguir as vantagens e inconvenientes de cada método de integração:
●
Biblioteca de classes em C++: biblioteca de ligação dinâmica para o Windows e
GNU/Linux, que proporciona uma visão orientada para objetos do sistema. Juntamente
com a biblioteca de ligação dinâmica, fornece-se o código-fonte de um proxy em código
C++, totalmente portável, para que a biblioteca se possa usar a partir de qualquer
compilador de C++. Gerencia de forma transparente a comunicação simultânea com
várias pistas. Implementa uma interface de alto nível que proporciona uma grande
simplicidade de programação a partir de C++. Disponível para sistemas Windows e
GNU/Linux.
●
Biblioteca de funções en C: biblioteca de ligação dinâmica para o Windows e
GNU/Linux, que proporciona uma visão orientada para funções do sistema.
Da mesma forma que na biblioteca em C++, junto com a biblioteca, é fornecido o
código fonte de um proxy em código C totalmente portátil para que a biblioteca possa
ser utilizada a partir de qualquer compilador de C. Administra a comunicação
simultânea com várias vias, de forma transparente. Permite programar em C mantendo
a visão de alto nível que proporciona a biblioteca em C++. Pode-se usar tanto a partir
de C como a partir de C++. Disponível para sistemas Windows e GNU/Linux.
●
Mediante protocolo UDP ou serial próprio de SmartLPR® Speed: fornecem-se as
definições do protocolo usado para a comunicação num arquivo de cabeçalho (SA.h),
assim como exemplos de seu uso programados em linguagem ANSI C. Além disso,
fornecem-se rotinas básicas para as comunicações UDP nos arquivos (UDTools.c e
UDTools.h). Com ela pode-se programar um aplicativo cliente que interatue com o
SmartLPR® Speed praticamente a partir de qualquer dispositivo que disponha de
Quercus Technologies
11
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Conceitos básicos
capacidade de transmissão por rede ou serial.
1.6.2. Alternativas de comunicação
As unidades SmartLPR® Speed podem comunicar-se com o aplicativo cliente (que na
nomenclatura de SmartLPR® Speed se denomina "Sistema Central") de duas formas
diferentes:
●
Mediante protocolo UDP: usando uma rede Ethernet standard de 10/100Mb.
●
Mediante comunicação serial RS-232 ou RS-485: mediante o sistema de
configuração do SmartLPR® Speed podemos escolher a velocidade, a paridade da
comunicação serial (para mais informações, consulte o capítulo "Configuração").
Os diversos modos de comunicação, combinados com a possibilidade de se ter um sistema
central diferente para cada via ou um sistema central para todas as vias, geram as seguintes
configurações:
1.6.2.1. Um sistema central único e UDP
Sistema central
Unidade SmartLPR
Unidade SmartLPR
Unidade SmartLPR
Equipamento da via
Rede Ethernet
Equipamento da via
Equipamento da via
É a configuração típica na que existe uma máquina central na qual se executa uma aplicação
de controle, que é a encarregada de registrar os movimentos e gerir a comunicação com os
equipamentos das pistas.
Quercus Technologies
12
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Conceitos básicos
1.6.2.2. Um sistema central por via e UDP
Unidade SmartLPR
Unidade SmartLPR
Unidade SmartLPR
Ethernet
Ethernet
Ethernet
Equipamento da via
Equipamento da via
Equipamento da via
É a configuração típica quando se deseja que cada via SmartLPR® Speed se comunique
diretamente com o equipamento da via ao que está associado. Cada distribuidor atua como
sistema central da unidade de tal via.
1.6.2.3. Um sistema central por via e RS-232
Unidade SmartLPR
Unidade SmartLPR
Unidade SmartLPR
RS-232:
RS-232:
RS-232:
Equipamento da via
Equipamento da via
Equipamento da via
Semelhante ao anterior, usa-se em casos onde os equipamentos das faixas não dispõem de
placa de rede.
1.7. Política de atualizações e compatibilidade
O software que se distribui com a unidade é partilhado por todos os produtos de
reconhecimento de placas da família SmartLPR®.
As unidades de reconhecimento de placas da família SmartLPR ® têm um firmware (software
que se executa no interior da unidade) atualizável.
Quercus Technologies
13
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Conceitos básicos
1.7.1. Números de versão
Cada versão do software/firmware é composto por três números (por exemplo 2.4.5):
●
O primeiro dígito (denominado “maior”) indica a versão principal do software/firmware.
Este número indica quantas vezes se produziram grandes alterações internas e/ou
externas.
●
O segundo dígito (denominado “menor”), indica quantas vezes foram acrescentadas
novas funcionalidades à versão “maior” indicada.
●
O terceiro dígito (denominado “revisão”) indica quantas vezes foram corrigidos erros da
versão “maior. menor” indicada.
A versão inicial de qualquer produto SmartLPR® é a 1.1.0.
1.7.2. Compatibilidade entre versões
O software cliente sempre é compatível para trás, ou seja, com a última versão do software se
podem controlar todas as versões das unidades SmartLPR®.
Para saber se uma atualização de firmware é compatível com sua unidade, é preciso verificar
qual é a versão em funcionamento de sua unidade e compará-la com a versão da atualização:
Versão
Compatível
Exige atualização de software
Primeiro dígito diferente
Não3
X
Primeiro dígito idêntico
Segundo dígito diferente
Sim
Sim
Primeiro e segundo dígito idênticos Sim
Terceiro dígito diferente
Não
3
A compatibilidade não está excluída. Simplesmente, não está garantida. Consulte o departamento de Suporte
Técnico da Quercus Technologies.
Quercus Technologies
14
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Conceitos básicos
2. Passos anteriores à instalação
2.1. Projeto e execução da obras de construção civil
As unidades SmartLPR® Speed podem instalar-se de dos modos distintos:
●
Instalação frontal: a unidade é capaz de funcionar segundo las especificações nos
três modos de operação disponíveis: hardware trigger, software trigger y contínuo.
es
or
ns
e
S
s
de
ida
n
U
Sm
PR
tL
ar
d
ee
Sp
Captura de imagens
●
Instalação traseira: está suportada apesar de desaconselhada. Uma grande
parte dos veículos (caminhões, 4x4 e etc...) possuem a placa localizada de uma
maneira que é impossível sua visualização completa de uma posição elevada (tampada
pela carroceria dos caminhões, pelo estepe dos 4x4 e etc.). Nesses casos fica difícil
conseguir ótimos resultados da leitura das placas traseira.
m
sS
de
a
id
Un
PR
tL
ar
d
ee
Sp
es
or
ns
Se
Captura de imagens
Diversos parâmetros da instalação dependerão muitas vezes da altura que está posicionada a
unidade e a largura máxima da via (na parte inferior da imagem) que se deseja capturar. Nos
esquemas a continuação indicam os diversos parâmetros do sistemas:
Quercus Technologies
15
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Conceitos básicos
tL
ar
m
S
PR
ee
Sp
d
Altura (h)
n
Se
s
re
so
Zona de captura
de imagens (L2)
Distância (L1)
Vista geral
Altura (h)
Ângulo da câmara (β)
Zona de captura
de imagens (L2)
Distância (L1)
A1
A2
Vista lateral
Vista superior
A tabela a seguir detalha todas as possibilidades de instalação da câmara.
Quercus Technologies
16
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Conceitos básicos
h
A1
L1
A2
L2
β
Zoom
4,0
1,8
8,5
2,5
3,7
21,7
25,1
Vel.Máx
.
200
4,0
2,0
7,25
2,8
3,7
14,5
19,9
200
4,0
2,2
6
3,2
3,7
28,1
15,7
200200
200
4,5
1,8
9,75
2,4
3,6
21,7
28,6
200
4,5
2,0
8,25
2,7
3,6
24,7
22,5
200
4,5
2,2
7,75
3,0
3,9
25,6
19,5
200
5,0
1,8
11
2,3
3,5
21,7
32,2
200
5,0
2,0
9,5
2,6
3,6
24,3
25,8
200
5,0
2,2
8,5
2,9
3,7
26,4
21,5
200
5,5
1,8
12,5
2,2
3,5
21,3
36,4
200
5,5
2,0
10,75
2,5
3,6
24,0
29,0
200
5,5
2,2
9,5
2,8
3,6
26,4
24,0
200
6,0
1,8
14
2,2
3,6
21,0
39,0
200
6,0
2,0
12
2,5
3,5
23,8
32,2
200
6,0
2,2
10,5
2,8
3,6
26,4
26,4
200
6,5
1,8
15,5
2,2
3,6
20,8
--
200
6,5
2,0
13,25
2,4
3,5
23,6
35,4
200
6,5
2,2
11,5
2,7
3,5
26,4
28,8
200
7,0
1,8
15,5
2,1
3,3
22,4
--
185
7,0
2,0
14,75
2,4
3,6
23,1
39,0
200
7,0
2,2
12,75
2,7
3,6
26,0
31,7
200
7,5
1,8
15,5
2,1
3
24,0
--
173
7,5
2,0
15,5
2,4
3,5
23,7
--
200
7,5
2,2
14
2,6
3,6
25,6
34,6
200
8,0
1,8
15,5
2,0
2,9
25,4
--
162
8,0
2,0
15,5
2,3
3,3
25,2
---
183
8,0
2,2
15
2,6
3,5
25,7
37,1
200
Onde:
●
h: altura da câmara (em metros).
●
A1: largura da imagem na zona inferior (em metros).
●
L1: distancia horizontal entre la câmara e la parte inferior de la imagem (em metros).
●
A2: largura da imagem na zona superior (em metros).
●
L2: profundidade da imagem (em metros).
●
β: ângulo da câmara em relação ao solo (em graus).
●
Zoom: zoom da câmara (distancia focal em mm).
Quercus Technologies
17
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
●
Conceitos básicos
Vel.Máx: velocidade máxima em que se podem capturar veículos (em km/h).
Como norma geral, quanto menor a largura da via maior será a taxa de reconhecimento do
equipo, já que as imagens das placas serão maiores. Ao diminuir a largura pode resultar,
contudo, em uma perda da velocidade máxima a que se pode circular os veículos nas capturas
feitas de alturas mais elevadas.
Para usar sistema modo “Trigger Hardware”, os sensores devem ser capazes de fornecer um
sinal com uma duração não inferior a 25 ms cada vez que seja detectado um veículo.
O funcionamento correto de qualquer sistema LPR depende de muitos fatores externos ao
próprio sistema. A maioria desses fatores pode ser otimizada se esses fatores forem levados
em conta durante o projeto de posicionamento dos sensores e das câmeras. A Quercus
Technologies só pode garantir o funcionamento ideal do sistema SmartLPR ® Speed se o
posicionamento dos diversos elementos do sistemas for realizado conforme as diretrizes
descritas neste documento. Se houver limitações físicas incontornáveis que impeçam o
cumprimento dessas diretrizes, é muito importante que o posicionamento dos elementos seja
feito com a colaboração do departamento de Suporte da Quercus Technologies.
2.2. Cabeamento
A cada unidade de reconhecimento SmartLPR® Speed devem chegar os seguintes cabos:
Alimentação
●
Cabo de alimentação blindado: 3x1.5mm2 ou 2x2.5mm2 de seção (corrente contínua)
ou
●
Cabo de alimentação: 3x1.5mm2 de seção (corrente alternada).
Comunicações
●
Cabo de Rede: cabo UTP categoria 5 (funcionamento em rede Ethernet) ou
●
Cabo serial standard de 3 vias (funcionamento por porta serial RS-232)
E(S) (opcional)
●
Cabo blindado de 12 vias (se for necessário as 2 entradas e as 8 saídas) de 0,22 mm 2
de seção.
Quercus Technologies
18
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Conceitos básicos
3. Material fornecido
3.1. Itens do material
1. Unidade de reconhecimento.
2. Objetivo da câmera.
3.2. Componentes opcionais
1
2
3
4
1. Suporte para parede.
2. Suporte para teto:
3. Suporte para mastro.
4. Adaptador plano (para teto).
Quercus Technologies
19
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Software
Software
Nesta seção se descreve o software cliente, assim como os processos de instalação e
configuração do mesmo.
Não é necessário dispor fisicamente de nenhuma unidade SmartLPR® Speed para seguir os
passos indicados nesta seção, dado que somente se instala o software cliente, ou seja, o
software que permite comunicar e interagir com uma ou mais unidades.
Quercus Technologies
20
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Software
4. Introdução
Para compreender melhor o resto desta seção é necessário incorporar uma série de conceitos
que se repetirão frequentemente na descrição do software SmartLPR® Speed (na ferramenta
de diagnóstico, configuração, etc.)
Num
aplicativo
cliente
SmartLPR®
Speed
(programado
mediante
as
bibliotecas
de
desenvolvimento), as unidades estão agrupadas logicamente em "sistemas remotos". Um
sistema remoto não é outra coisa senão um agrupamento de unidades SmartLPR® Speed
sobre as quais se podem aplicar certas ações simultaneamente (reiniciar e obter o seu estado,
entre outras).
O número de sistemas remotos que pode haver numa aplicação SmartLPR®
Speed e o número de unidades que pode haver num sistema remoto são ilimitados.
O objetivo de agrupar as unidades em sistemas remotos é dotar cada conjunto de unidades de
um nexo de união comum. Por exemplo, caso se instale um sistema SmartLPR® Speed num
estacionamento onde há dois grupos de faixas muito separados uns dos outros (que
chamaremos "norte" e "sul") o fato de se ter as unidades divididas em dois sistemas remotos
(um para as pistas do norte e outro para as pistas do sul) pode facilitar aos operadores do
estacionamento a rápida identificação da zona do estacionamento que é a afetada no caso, por
exemplo, de um corte nas comunicações.
No seguinte esquema se mostra um exemplo de uma aplicação com cinco unidades
SmartLPR®
Speed
divididas
em
dois
sistemas
remotos
com
três
e
duas
unidades
respectivamente.
SmartLPR
Sistema remoto:
SmartLPR
Unidade SmartLPR
Faixes norte
Quercus Technologies
Unidade SmartLPR
Sistema remoto:
SmartLPR
Unidade SmartLPR
Unidade SmartLPR
Unidade SmartLPR
Faixes sul
21
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Software
5. Instalação do software do cliente
Baixe a última versão do software no seguinte endereço:
http://downloads.quercus.biz/
Tal software sempre é compatível para trás, ou seja, a versão mais recente do software
sempre se pode usar com todas as unidas existentes, salvo se for indicado explicitamente o
contrário.
5.1. Instalação em Windows
Execute o programa de instalação "setup.exe" e dê os passos indicados.
Se já houver no sistema uma versão do software do cliente instalada e a versão da nova
instalação diferir somente quanto ao número de revisão (por exemplo, se houver uma versão
2.2.3 instalada e for instalar a versão 2.2.5), a nova versão será instalada na mesma pasta,
substituindo somente os arquivos necessários e deixando só uma entrada no menu de
desinstalação do sistema.
5.2. Instalação em GNU/Linux
Execute o programa de instalação baixado e dê os passos indicados.
5.2.1. Dependências
Os executáveis para GNU/Linux estão interligados dinamicamente e, portanto, os componentes
abaixo deverão estar instalados. Todos esses componentes estão instalados (ou disponíveis
para a instalação) em qualquer distribuição Linux moderna.
Para desenvolver e executar programas sem interface gráfica:
●
glibc v2.3.2: http://www.gnu.org/software/libc/libc.html
Para executar programas com interface gráfica, além disso, necessitará:
●
XFree86-libs v4.3.0: http://ftp.xfree86.org/pub/XFree86/
5.3. Arquivos instalados
Na pasta de instalação poderá encontrar as seguintes subpastas:
●
Bin: executáveis e bibliotecas. Nela poderá encontrar os seguintes arquivos:
●
SLPRDiag(.exe): ferramenta de diagnóstico. Permite verificar, a partir do
Quercus Technologies
22
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Software
sistema central, o funcionamento das diversas unidades.
●
AcessSimu(.exe): simulador no modo texto de unidade SmartLPR ® Access.
Permite desenvolver aplicações cliente para SmartLPR ® Access sem necessidade
de
dispor
SmartLPR
●
®
fisicamente
da unidade.
Consulte
o Manual
do
programação
para mais informações.
AcessSimuGui(.exe):
binário
do
simulador
no
modo
gráfico
de
unidade
SmartLPR® Access. Permite desenvolver aplicações cliente para SmartLPR ®
Access sem necessidade de dispor fisicamente da unidade. Consulte o Manual do
programação SmartLPR® para mais informações.
●
SpeedSimu(.exe): simulador no modo texto de unidade SmartLPR ® Speed.
Permite desenvolver aplicações cliente para SmartLPR ® Speed sem necessidade
de
dispor
fisicamente
da unidade.
Consulte
o Manual
do
programação
SmartLPR® para mais informações.
●
SpeedSimuGui(.exe): simulador no modo gráfico de unidade SmartLPR ® Speed.
Permite desenvolver aplicações cliente para SmartLPR ® Speed sem necessidade
de
dispor
SmartLPR
●
®
fisicamente
da unidade.
Consulte
o Manual
do
programação
para mais informações.
ComBridge(.exe): adaptador serial, transforma tramas UDP em tramas seriais.
Usar-se-á quando se deseje simular uma unidade com comunicação serial.
●
ComBridgeGui(.exe): adaptador serial no modo gráfico, transforma tramas UDP
em tramas seriais. Usar-se-á quando se deseje simular uma unidade com
comunicação serial.
●
SA.dll (Windows) ou libSA.so (Linux): biblioteca de ligação dinâmica necessária
para programar aplicações clientes em C/C++.
●
SLPRDiag.bin (Linux): binário da ferramenta de diagnóstico. Não se deve usar
diretamente. É usado por SLPRDiag.
●
AcessSimuGui.bin (Linux): binário do simulador no modo gráfico de unidade
SmartLPR® Access. Não se deve usar diretamente. É usado por AcessSimuGui.
●
SpeedSimuGui.bin (Linux): binário do simulador no modo gráfico de unidade
SmartLPR® Speed. Não se deve usar diretamente. É usado por SpeedSimuGui.
●
ComBridgeGui.bin (Linux): binário do adaptador serial no modo gráfico. Não se
deve usar diretamente. É usado por ComBridgeGui.
●
lib*.so (somente em GNU/Linux): todas as dependências de libSA.so (exceto
glibc e Xfree86).
●
/libs (somente em GNU/Linux): todas as dependências dos executáveis (exceto
glibc e XFree86).
●
Data: arquivos de dados e de configuração que necessitam da ferramenta de
Quercus Technologies
23
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Software
diagnóstico e do simulador para funcionar corretamente.
●
Doc: contém este manual do usuário SmartLPR® Access e o manual do programação
SmartLPR®.
●
Include: contém os arquivos de cabeçalho C/C++ necessários para desenvolver usando
as bibliotecas de tais linguagens, a biblioteca do tipos (TLB) assim como a definição das
tramas do protocolo em forma de estruturas em C.
●
Log: pasta onde serão armazenados os registros dos diversos programas, assim como o
histórico de movimentos.
●
Redist (Windows): bibliotecas de execução de Visual C++.
●
Samples: exemplos de programação com as diversas alternativas existentes: C, C++, e
protocolo. Consulte o arquivo "Readme.txt" dessa pasta para mais informações.
●
Simulations: simulações de funcionamento de unidades SmartLPR ® Speed e unidades
SmartLPR® Access. Cada simulação contém um arquivo .bat ou um script para ser
executado corretamente. Consulte o arquivo "Readme.txt" dessa pasta e o Manual do
programação SmartLPR® para mais informações.
●
Src: arquivos em código-fonte C/C++ necessários para usar a biblioteca em C++ assim
como um conjunto de funções de ajuda na gestão de comunicações UDP.
Quercus Technologies
24
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Software
6. Configuração do sistema central
O sistema central será configurado mediante um arquivo de texto. O aplicativo cliente deverá
usar este arquivo de configuração para iniciar a biblioteca de desenvolvimento de SmartLPR®
Speed (quer a biblioteca em C ou C++).
O arquivo de configuração pode ter qualquer nome e ser salvo em qualquer local do
computador do cliente. Mas, se ele for ser usado a partir da ferramenta de diagnóstico
“SLPRDiag” (ver 7 Ferramenta de diagnóstico
para mais informações) ele deverá ficar na
pasta “Data” do diretório de instalação e ter o nome de “Central.ini”, pois o SLPRDiag espera
encontrá-lo nesse local, com esse nome.
O arquivo está dividido em secções onde cada seção contém uma série de variáveis do tipo
"Variável=Valor". Podem-se deixar espaços antes e depois do símbolo igual, dado que estes
serão ignorados.
6.1. Seção [Global]
Nela se encontram os parâmetros gerais do sistema.
●
●
LogLevel: nível de informação que se mostrará no registro. Possíveis valores:
●
1: Message; serão exibidas todas as mensagens.
●
2: Warning; só serão exibidas as mensagens de aviso ou de erro.
●
3: Error: só serão exibidas as mensagens de erro.
HistoricSize: número de movimentos que serão armazenados por unidade de
reconhecimento. Os movimentos se armazenam a partir da pasta em que se encontre o
arquivo de log (<pasta de instalação>/Log por defeito) RemoteX/LaneY" onde "X" e "E"
representam o índice do sistema remoto e via, respectivamente. Cada movimento
envolve a estocagem de dois arquivos, um com os dados do movimento (placa,
momento, etc.) e uma imagem jpeg com a fotografia tomada do veículo; por isso, ao
estabelecer este valor, dever-se-ão ter em conta as limitações quanto ao número de
arquivos que uma só pasta de seu sistema de arquivos pode conter.
6.2. Seção [Network]
Contém os parâmetros gerais de rede.
●
ConfigPort: porta UDP pela qual se esperarão as mensagens de resposta do sistema de
configuração das unidades. O valor predefinido é 7040.
●
ListeningPort: porta UDP pela qual se esperarão as mensagens das unidades. As
Quercus Technologies
25
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Software
unidades estão configuradas por predefinição para enviar as mensagens à porta 7050,
por isso, recomenda-se o uso deste valor.
●
Password: senha de encriptação de protocolo. Veja o manual de programação
SmartLPR®.
●
Timeout: tempo em milésimos de segundos que se deve esperar desde que uma
mensagem é enviada a uma unidade até que seja determinado que a mensagem não
chegou, sendo, então, feito o reenvio (ou o cancelamento, no caso de terem se
esgotado as tentativas). O valor recomendado está entre 300 e 1000 (se a rede na que
se encontram os equipamentos tem um alto volume de tráfego poderia aumentar-se
ligeiramente este valor).
●
Retries: número de tentativas de enviar uma mensagem que se farão antes de
considerar que não pôde ser enviado. Os valores recomendados estão entre 2 e 3
tentativas.
6.3. Seção [RemoteSystems]
Contém as informações aplicáveis a todos os sistemas remotos.
●
MonitoringPeriod: segundos que passarão entre verificações do estado das unidades. O
valor recomendado está entre 10 e 30 segundos.
●
RSNumber: número de sistemas remotos nos quais está dividido o sistema. Deverá
haver tantas secções RemoteSystemX como aqui se indiquei e irão numeradas de 1 a
X. Aparecerão nessa mesma ordem nas bibliotecas de desenvolvimento e na ferramenta
de diagnóstico.
6.4. Seção [RemoteSystemX]
Contém os parâmetros do sistema remoto "X".
●
RSLanes: lista, separada por vírgulas, das unidades que estão agrupadas sob este
sistema remoto. As unidades aparecerão na ordem em que estejam aqui declaradas na
coleção
de
faixas
do
sistema
remoto
acessível
a
partir
das
bibliotecas
de
desenvolvimento (assim como a partir da ferramenta de diagnóstico).
6.5. Seção [LaneY]
Contém os parâmetros da via (ou unidade) "Y".
●
ConfigPort: porta UDP na qual a unidade esperará as mensagens de configuração do
sistema central. Por padrão, a configuração das unidades é 7039 e, portanto, esse é o
valor recomendado.
Quercus Technologies
26
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
●
Software
Host: endereço de IP da unidade. Podem-se usar nomes em vez de endereços IP,
nesse caso, a máquina deve ter configurado o acesso a um servidor de DNS para poder
converter o nome num endereço de IP.
●
Port: porta UDP na qual a unidade esperará as mensagens do sistema central. Por
padrão, a configuração das unidades é 7051 e, portanto, esse é o valor recomendado.
Exemplo de arquivo de configuração
[Global]:
LogLevel=2
HistoricSize=100
[Network]
ListeningPort=7050
Timeout=300
Retries=2
ConfigPort=7040
Password=
RemoteSystems
MonitoringPeriod=10
RSNumber=2
[RemoteSystem1]
RSLanes=1,2
[RemoteSystem2]
RSLanes=3
[Lane1]
Host=192.168.1.201
Port=7051
ConfigPort=7041
[Lane2]
Host=192.168.1.202
Port=7051
ConfigPort=7041
[Lane3]
Host=192.168.1.203
Port=7051
ConfigPort=7041
Quercus Technologies
27
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Software
7. Ferramenta de diagnóstico
A ferramenta de diagnóstico SLPRDiag permite ao operador verificar, a partir do sistema
central, o funcionamento das diversas unidades de captação.
Para usar a ferramenta de diagnóstico, o aplicativo do cliente deverá ser interrompido (se
estiver funcionando), pois os dois utilizam a mesma porta UDP para receber as mensagens das
unidades e, portanto, não podem funcionar ambos ao mesmo tempo.
O programa pode ser executado com ou sem argumentos. Se for executado sem argumentos,
ele procurará o arquivo de configuração em "<pasta de SLPRDiag>/../Data/Central.ini" e
deixará o arquivo de log em "<pasta de SLPRDiag>/../Log/Central.log". Se, ao contrário, ele
for executado com argumentos, o primeiro argumento deve ser o caminho do arquivo de
configuração e o segundo o do arquivo de log. Exemplo: SLPRDiag Central2.ini Central2.log.
O aplicativo está dividido em três partes:
●
Barra de botões.
●
Zona principal.
●
Barra de estado
Barra de botões
Zona
principal
Barra de
estado
7.1. Barra de estado
Encontra-se na parte inferior da aplicação. Exibe informações adicionais, dependendo da aba
Quercus Technologies
28
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Software
ativa na zona principal.
7.2. Barra de botões
A barra de botões ocupa a parte superior da aplicação. Os botões estão agrupados conforme
sua funcionalidade: alguns dos botões são aplicáveis somente em determinadas circunstâncias
e com certa aba selecionada; outros, ao contrário, são independentes da aba ativa. Os grupos
de botões disponíveis são:
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
Botões principais
Efetuam as ações mais básicas da aplicação:
1. Sair: sair da aplicação.
2. Seleção de sistema remoto/via: a primeira caixinha (2) representa o sistema remoto e
a segunda (3) a via dentro do sistema remoto. Se for selecionado "Todos" no sistema
remoto, todas as ações repercutirão em todos as pistas de todos os sistemas remotos;
se for selecionado um sistema remoto e "Todos" na via, as ações repercutirão em todos
as faixas do sistema remoto selecionado; se for selecionado um sistema remoto e uma
via, as ações somente repercutirão sobre a via selecionada. Dependendo da seleção
feita
nestas
caixinhas,
algumas
das
pestanas
poderão
ter
mais
ou
menos
funcionalidades disponíveis.
3. Ver 2.
Botões de ações
Permitem realizar ações sobre a aba selecionada. Alguns dos botões somente estarão
disponíveis para certas combinações de sistema remoto/via e/ou para determinadas pestanas:
4. Seleção de tempo de exposição: (veja a descrição das pestanas, em 7.3.Zona
principal).
5. Iniciar: (veja mais abaixo a descrição das pestanas).
6. Deter: (veja mais abaixo a descrição das pestanas).
7. Apagar/Reiniciar: (veja mais abaixo a descrição das pestanas).
8. Primeiro: (veja mais abaixo a descrição das pestanas).
9. Prévio: (veja mais abaixo a descrição das pestanas).
10. Seguinte: (veja mais abaixo a descrição das pestanas).
11. Último: (veja mais abaixo a descrição das pestanas).
Quercus Technologies
29
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Software
Botões de funções
Funções independentes da aba selecionada.
12. Enviar trigger: está disponível sempre que haja uma via selecionada. Serve para enviar
à via um sinal de "trigger" (captura e reconhecimento de placa). O identificador de
trigger começa em "1" ao iniciar a aplicação e aumenta em uma unidade sempre que o
botão é pressionado. As faixas não configuradas no modo software retornarão erro.
13. Reiniciar via selecionada: está sempre disponível, permite reiniciar a via selecionada
(ou as faixas selecionadas). O aplicativo solicitará a confirmação antes de enviar a
ordem à(s) unidade(s).
14. Ativar bit de E/S: está disponível sempre que haja uma via selecionada. Serve para
ativar ou desativar um bit de saída do cartão de E/S da unidade.
Uma vez pressionado, aparece uma janela de controle. Nela deve-se escolher o bit que
se quer ativar e a duração (ou marcar "Manter ativo") e pressionar o botão "Ativar"
para enviar a ordem à unidade. Para desativar um bit previamente ativo selecione um
tempo zero para tal bit e pressione "Ativar".
15. (Des)ativar via: está disponível sempre que haja uma via selecionada. Serve para fazer
com que a unidade da via selecionada reaja ou não aos eventos externos (triggers,
alterações no cartão de E(S), etc.). A aplicação solicitará confirmação antes de proceder
ao envio da ordem à unidade.
Botões de ajuda
Manuais e outras ajudas.
16. Manual SmartLPR® Access: mostra o manual do usuário de SmartLPR ® Access em PDF.
É necessário dispor de um visor de arquivos PDF associado a tal tipo de arquivos
(poderá encontrar o programa Acrobat Reader no cd de instalação do software
SmartLPR®).
17. Manual SmartLPR® Speed: mostra o manual do usuário de SmartLPR ® Speed em PDF. É
necessário dispor de um visor de arquivos PDF associado a tal tipo de arquivos (poderá
encontrar o programa Acrobat Reader no cd de instalação do software SmartLPR ®).
18. Acerca de: mostra informação acerca de Quercus Technologies.
7.3. Zona principal
A zona principal está dividida em abas. A combinação de sistema remoto/via selecionada na
barra de botões altera o comportamento das pestanas.
Quercus Technologies
30
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Software
7.3.1. Situação
Serve para conhecer o estado e notificações do elemento selecionado na barra de botões
(todos/um sistema remoto/uma via). Está dividida em duas partes: na parte superior mostrase o estado do elemento selecionado, na parte inferior mostram-se as notificações associadas
a tal elemento.
O estado mostrará os seguintes dados:
●
Com todo o sistema selecionado:
●
Estado: estado geral do sistema. Somente será correto quando o estado de
todas as faixas de todos os sistemas remotos estejam corretos.
●
Com um sistema remoto selecionado:
●
Id: identificador do sistema remoto.
●
Estado: estado do sistema remoto. Somente será correto quando o estado de
todos as faixas do sistema remoto estejam corretos.
●
Estado das comunicações: estado das comunicações do sistema remoto.
Somente será correto quando o estado das comunicações de todos as faixas do
sistema remoto estejam corretos.
●
Com uma via selecionada:
●
Id: identificador da via.
Quercus Technologies
31
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
●
Software
Estado das comunicações: estado das comunicações da via. Se esse campo
indicar erro, o resto dos campos aparecerá sem valor algum.
●
Estado do cartão de E/S: mostra o estado do cartão de entradas/saídas da via.
Como tal cartão é opcional, se não estiver presente o estado mostrará correto.
●
Estado da câmera: estado da câmera da unidade.
●
Ativo: indica se a unidade está ativa (reage aos eventos externos como
mensagens, alterações nas E(S), etc.) ou não, caso em que não reagirá face aos
eventos externos que se produzam. Para ativar ou desativar a unidade utilize o
botão destinado para tal efeito na barra de botões.
●
Versão do firmware: mostra a versão de SmartLPR ® Speed que está unidade está
executando.
As notificações mostrarão as seguintes informações:
●
Momento: data e hora em que ocorreu a notificação em formato ano-mês-dia
hora:minuto:segundo.
●
Sistema remoto: sistema remoto do qual procede a notificação.
●
Via: via da qual procede a notificação.
●
Descrição: descrição da notificação produzida.
Botões ativos
●
Eliminar/Reiniciar: esvazia a lista de notificações.
7.3.2. Eventos
Mostra os eventos que se produzem no elemento selecionado (tudo/sistema remoto/via). Os
eventos mostrados podem ser desde alterações nas entradas do cartão de E(S), chegadas ou
partidas de veículos ou, principalmente, reconhecimentos de placas. As ações principais que
efetua o utilizador sobre o elemento selecionado também ficam refletidas nesta aba.
Quercus Technologies
32
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Software
A janela está dividida em 4 partes:
●
Imagem: imagem do último reconhecimento produzido. Ocupa a parte superior da
janela. A placa se requadrará na imagem mostrada se esta foi reconhecida e obedece à
gramática de algum país configurado.
●
Informação placa: dados da placa do último reconhecimento produzido. Os dados
exibidos são:
●
Via: identificador do sistema remoto e via em que ocorreu o reconhecimento
(separados por vírgulas).
●
Placa: placa reconhecida.
●
Momento:
data
e
hora
do
reconhecimento
(em
formato
ano-mês-dia
hora:minuto:segundo.)
●
Qualidade: qualidade média dos caracteres reconhecidos e, entre parênteses, qualidade
mínima reconhecida.
●
Id.Veículo: identificador do veículo.
●
Trigger: identificador do trigger que desencadeou o reconhecimento.
●
País: país ou países pelos quais se reconheceu a placa.
●
Roi: retângulo no qual se encontrou a placa.
●
Brilho: permite uniformizar o brilho das imagens na tela. Encontra-se na parte inferior
Quercus Technologies
33
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Software
esquerda da janela.
Se for marcada a caixinha "Ativo", a aplicação tentará diminuir ou aumentar
automaticamente o brilho da imagem de forma que todas as placas apareçam com um
brilho semelhante. Para ajustar o brilho manualmente, deve-se desmarcar a caixinha
"Auto" e ajustá-lo com o controle destinado para tal efeito. Uma vez que o brilho foi
manualmente ajustado, permanecerá no valor estabelecido, inclusive para os novos
reconhecimentos que se produzam.
Atenção: este controle somente modifica a forma como a aplicação mostra as imagens
ao utilizador, não modifica o brilho das imagens que se armazenam no histórico de
disco.
●
Lista de eventos: lista de eventos produzidos. Mostra-se a data e a hora, o sistema
remoto e a via e uma pequena descrição do evento produzido.
Botões ativos
●
Eliminar/Reiniciar: esvazia a lista de notificações.
7.3.3. Histórico
Mostra dados de reconhecimentos armazenados no histórico de disco.
Esta aba somente mostrará dados se o elemento ativo na barra de botões é uma via; a janela
aparecerá vazia caso o elemento ativo seja um sistema remoto ou todo o sistema.
Quercus Technologies
34
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Software
A janela está dividida em 3 partes:
●
Imagen: imagem armazenada para o reconhecimento. Ocupa a parte superior da
janela. A placa se requadrará na imagem mostrada se esta foi reconhecida e obedece à
gramática de algum país configurado.
●
Informação placa: dados do reconhecimento da placa. Os dados exibidos são:
●
Via: identificador do sistema remoto e via em que ocorreu o reconhecimento
(separados por vírgulas).
●
Placa: placa reconhecida.
●
Momento:
data
e
hora
do
reconhecimento
(em
formato
ano-mês-dia
hora:minuto:segundo.)
●
Qualidade: qualidade média dos caracteres reconhecidos e, entre parênteses,
qualidade mínima reconhecida.
●
Id.Veículo: identificador do veículo.
●
Trigger: identificador do trigger que desencadeou o reconhecimento.
●
País: país ou países pelos quais se reconheceu a placa.
●
Roi: retângulo no qual se encontrou a placa.
●
Brilho: permite uniformizar o brilho das imagens na tela. Encontra-se na parte
inferior esquerda da janela.
Se for marcada a caixinha "Ativo", a aplicação tentará diminuir ou aumentar
automaticamente o brilho da imagem de forma que todas as placas apareçam
com um brilho semelhante. Para ajustar o brilho manualmente, deve-se
desmarcar a caixinha "Auto" e ajustá-lo com o controle destinado para tal efeito.
Após ajustar o brilho manualmente, ele permanecerá com essa configuração até
mesmo na visualização de novas imagens.
Atenção: este controle somente modifica a forma como a aplicação mostra as
imagens ao utilizador, não modifica o brilho das imagens que se armazenam no
histórico de disco.
Botões ativos
●
Início: mostra os dados do primeiro reconhecimento do histórico.
●
Prévio: mostra os dados do reconhecimento anterior ao que se está mostrando
atualmente.
●
Seguinte: mostra os dados do reconhecimento posterior ao que se está mostrando
atualmente.
●
Final: mostra os dados do último reconhecimento do histórico.
Quercus Technologies
35
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Software
7.3.4. Câmera ao vivo
Permite ver as imagens que a câmera está captando no momento. Sua principal função é
poder realizar um ajuste correto do objetivo da câmera.
Esta aba somente mostrará dados se o elemento ativo na barra de botões é uma via; a janela
aparecerá vazia caso o elemento ativo seja um sistema remoto ou todo o sistema.
A câmera ao vivo somente deve ser usada durante a focagem da unidade, pois
interfere muito negativamente no sistema de reconhecimento de forma que pode
chegar a fazer com que a unidade não reconheça placas enquanto se mantenha ativada.
A janela está dividida em 3 partes:
●
Imagem: imagem que se recebe atualmente da câmera. Ocupa a parte superior da
janela.
●
Focagem numérica/gráfica: permite o ajuste da câmera sem ter que confiar na
capacidade do olho humano de distinguir pequenas variações de nitidez da imagem.
●
Enfoque gráfico: semelhante ao anterior, mas com uma representação mais visual das
informações.
Botões ativos
●
Tempo de exposição: permite fixar o tempo de exposição (em μs) com o que se
captarão as imagens.
●
Iniciar: começar a receber e mostrar imagens ao vivo.
Quercus Technologies
36
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
●
Deter: parar de receber imagens ao vivo.
●
Eliminar/Reiniciar: reiniciar os dados da focagem numérica e gráfica.
●
Prévio: diminui o tempo de exposição em 20%.
●
Seguinte: aumenta o tempo de exposição em 20%.
Software
7.3.4.1. Focagem numérica/gráfica
A focagem numérica/gráfica permite o ajuste da câmera sem ter que confiar na capacidade do
olho humano de distinguir pequenas variações de nitidez da imagem.
Para utilizar o enfoque numérico, é necessário seguir os seguintes passos:
1. Iniciar a visualização ao vivo da imagem.
2. Situar o retângulo vermelho que aparece sobreimpresso na zona de focagem para a
qual se queira conseguir uma imagem nítida. Para isso, marque com o mouse um canto
do retângulo que quiser delimitar, aparecerá uma cruz vermelha pequena no ponto
marcado. Marque novamente com o mouse no canto oposto ao anterior, isso fará
aparecer o novo retângulo delimitado em vermelho.
3. Pressionar o botão "Eliminar/Reiniciar" para reiniciar os dados da focagem.
4. Fazer uma “varredura” bem lenta com o anel de enfoque do objetivo da câmera desde a
posição inicial até a posição final. Com isso, no campo “Máx.”, aparecerá o valor
máximo de enfoque conseguido.
5. Ajustar o anel de enfoque do objetivo até que o valor “Enfoque” seja o mesmo que o
valor “Máx.”.
A focagem gráfica proporciona os mesmos dados que a focagem numérica, mas com uma
representação mais simples. O eixo X representa o tempo e o eixo Y representa o valor do
enfoque. Quanto mais acima aparece o valor para um dado instante, melhor será a focagem. A
linha vertical marca o ponto atual do gráfico e a linha horizontal marca o valor atual do
enfoque. Quando as duas linhas aparecerem em vermelho, significa que o valor atual do
enfoque é igual ao valor máximo; quando o valor atual for menor do que o máximo, as linhas
aparecerão na cor cinza.
Quercus Technologies
37
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Software
7.3.5. Estatísticas
Permite efetuar uma avaliação objetiva do ajuste da câmera. Para tal, previamente deve-se
deixar o sistema funcionando até que passem no mínimo 24h (para poder avaliar todas as
condições
luminosas)
e
umas
centenas
de
veículos.
A
aplicação
deverá
estar
em
funcionamento, corretamente configurada para armazenar no histórico o número de veículos
necessários e com o histórico de imagens limpo.
Esta aba somente mostrará dados se o elemento ativo na barra de botões é uma via; a janela
aparecerá vazia caso o elemento ativo seja um sistema remoto ou todo o sistema.
Para ver as estatísticas deve-se pressionar o botão "Iniciar" e a aplicação efetuará o cálculo
dos dados (dependendo do número de veículos, o resultado pode demorar alguns segundos
em aparecer). Os valores mostrados têm o seguinte significado:
●
Posição media de ROIs: mapa de freqüências de aparecimento das placas nas imagens.
Indicam-se com um maior brilho as zonas da imagem nas quais apareceram mais
placas. É útil para saber se a câmera está centrada na via.
●
Número
reconhecimentos:
número
de
veículos
para
os
quais
se
efetuou
o
reconhecimento.
●
Com placa: quantidade absoluta e porcentagem dos reconhecimentos para os quais se
encontrou placa.
Quercus Technologies
38
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
●
Software
Vazios: quantidade absoluta e porcentagem dos reconhecimentos para os quais não se
encontrou placa.
●
Gramática correta: quantidade absoluta e porcentagem relativas aos reconhecimentos
com placa para os quais o valor encontrado obedece a alguma das gramáticas dos
países configurados.
Este parâmetro é de grande valor para faixas configuradas no
modo trigger. Um valor entre 90% e 95% para placas espanholas indicará que a via
está corretamente ajustada.
●
Gramática incorreta: quantidade absoluta e porcentagem relativas aos reconhecimentos
com placa para os quais o valor encontrado não obedece a alguma das gramáticas dos
países configurados.
●
Caracteres desconhecidos: número de caracteres desconhecidos por cada 1000 placas.
●
Prom. de qualidade média: média da qualidade média de todos os reconhecimentos
para os quais se obteve placa.
●
Prom. de qualidade mínima: média da qualidade mínima de todos os reconhecimentos
para os quais se obteve placa.
●
Desde: data e hora do primeiro reconhecimento.
●
Até: data e hora do último reconhecimento.
Botões ativos
●
Iniciar: inicia o cálculo das estatísticas.
7.3.6. Configuração
Permite o acesso ao sistema de configuração da unidade mediante um servidor da Internet
incluído.
Esta aba somente mostrará dados se o elemento ativo na barra de botões é uma via; a janela
aparecerá vazia caso o elemento ativo seja um sistema remoto ou todo o sistema.
É conveniente sublinhar que é possível aceder ao sistema de configuração a través desta aba o
de um navegador web com resultados idênticos ; veja a secção 9.1 Configuração principal do
sistema para conhecer o sistema de configuração da unidade.
Botões ativos
●
Iniciar: reconecta com o sistema de configuração da unidade. É útil, por exemplo, no
caso de ter sido forçada uma reinicialização da unidade.
●
Eliminar/Reiniciar: atualiza a página atual da configuração.
Quercus Technologies
39
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Software
7.3.7. FTP
Permite acessar o servidor FTP da unidade mediante um cliente FTP incrustado.
Esta aba somente mostrará dados se o elemento ativo na barra de botões é uma via; a janela
aparecerá vazia caso o elemento ativo seja um sistema remoto ou todo o sistema.
Observe que se usar encritação nas comunicações não será possível acessar o histórico
de reconhecimentos mediante protocolo FTP; ver o manual de programação SmartLPR ®.
A janela está dividida em 3 partes:
●
Arquivos locais: na parte esquerda da janela, mostra a lista de unidades, pastas e
arquivos dos discos locais.
●
Arquivos remotos: na parte direita da janela, mostra a lista de pastas e arquivos da
unidade selecionada.
●
Barra de progresso: mostra a percentagem dos arquivos que se transmitiram (quando
houver uma transmissão em curso).
Quercus Technologies
40
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Software
Funcionamento
O funcionamento é simétrico nos dois lados. Com um clique duplo sobre uma pasta ou
unidade, esta é determinada como pasta ativa e seu conteúdo é exibido.
Para selecionar mais de um arquivo ou pasta para transferência, podem ser usadas as teclas
[control] para adicionar individualmente arquivos ou pastas ou [maiúsculas] para adicionar
todos os arquivos e pastas desde a última selecionada.
Depois de selecionada a lista de arquivos, arrastando-os até à outra janela, se iniciará a
transferência no sentido indicado.
Botões ativos
●
Eliminar/Reiniciar: reconecta com o servidor FTP da unidade e atualiza o conteúdo das
duas listas de arquivos. É útil, por exemplo, caso se tenha reiniciado a unidade, dado
que o conteúdo do servidor FTP da unidade se perde em cada reinício.
Quercus Technologies
41
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Hardware
Hardware
Nesta seção descrevem-se os passos necessários para a instalação de uma unidade SmartLPR ®
Speed desde a sua desembalagem até seu pleno funcionamento, o qual compreende desde a
instalação física da unidade até a correta configuração da mesma (incluindo a focagem da
câmera).
Não são descritos nesta seção os processos alheios à unidade em si, como a instalação ou a
configuração do software do cliente da unidade (para isso, ver a seção “Software”).
Quercus Technologies
42
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Hardware
8. Descrição física do equipamento
O equipamento é composto por uma caixa ou revestimento de grande resistência. No interior
se aloja o sistema de iluminação, captura e processamento das imagens. Os elementos que
compõem a unidade são os seguintes.
Externamente
1. Carcaça removível.
2. Parafusos da carcaça.
3
3. Viseira.
4. Janela de visualização.
4
1
2
Internamente
1. Objetivo da câmera.
5
2. Foco (o aspecto pode variar).
3. Régua de Terminais de alimentação.
1
3
4. Furos de entrada de cabos.
5. Unidade leitora.
2
4
8.1. Pinouts
8.1.1. Rede Ethernet
Conector J1
Quercus Technologies
Pino
TX+
Significado
TX+ (pino 1 RJ-45)
TX-
TX- (pino 2 RJ-45)
RX+
RX+ (pino 3 RJ-45)
RX-
RX- (pino 6 RJ-45)
43
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Hardware
8.1.2. Conexões seriais
Conector J2
Pino
RS232_RX
Significado
RX de RS-232
RS232_TX
TX de RS-232
GND
Massa de RS-232
Pino
IN1 (J3)
Significado
Entrada 1
IN2 (J3)
Entrada 2
GND (J3)
Massa das entradas
+12VDC (J3)
Alimentação para as saídas
+12VDC (J3)
Alimentação para as saídas
OUT1 (J4)
Saída 1
OUT2 (J4)
Saída 2
OUT3 (J4)
Saída 3
OUT4 (J4)
Saída 4
OUT5 (J4)
Saída 5
OUT6 (J4)
Saída 6
OUT7 (J4)
Saída 7
OUT8 (J4)
Saída 8
8.1.3. E/S
Conectores J3 e J4
8.2. Características das comunicações seriais.
As comunicações seriais têm as características seguintes:
●
1 bit de Stop.
●
Sem paridade.
●
Sem controle de fluxo.
8.3. Características do sistema de E/S
8.3.1. Entradas
As entradas são de contato "seco", e têm dois estados possíveis: circuito aberto, e
Quercus Technologies
curto44
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Hardware
circuito a terra. No seguinte esquema mostra-se um exemplo de como conectar uma entrada
fazendo uso de um relé standard.
As entradas que não vão ser usadas podem-se deixar sem conectar.
Relé
Entradas
NA
Terra
NC
Entrada n
Comum
Sinal
Externo
8.3.2. Saídas
As saídas proporcionam um circuito aberto ou então um curto-circuito a terra.
Cada uma das saídas pode proporcionar uma corrente de até 200mA. É conveniente sublinhar
que a soma de intensidades das 8 saídas não pode exceder os 200mA. Para governar cargas
de potência mediante estas saídas é necessário introduzir um relé externo, conectado como se
mostra:
Saídas
Relé
+12VDC
+12VDC
Saída n
NA
NC
Comum
Em nenhum caso deve-se alimentar o lado de sinal dos relés a partir de outra tensão que não
seja a que se proporciona na régua de terminais de saída, dado que se poderiam provocar
danos ao circuito.
Quercus Technologies
45
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Hardware
8.4. Controle de temperatura
Existem modelos que incorporam um módulo de controle da temperatura para proteger o
equipamento em caso de temperaturas extremas. Um aquecedor se ativa quando a
temperatura interior desce e pára quando chega a uma temperatura confortável de
funcionamento.
Quercus Technologies
46
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Hardware
9. Firmware
Chamamos "firmware" ao conjunto de software que se executa, internamente, na própria
unidade.
Cada unidade está preconfigurada com seu endereço de IP igual a 192.168.1.2xy, onde "xy"
representa as duas últimos dígitos do número de série da unidade. Por exemplo, uma unidade
com número de série 04420120711002 terá como endereço IP 192.168.1.202.
O número de série da unidade poderá ser encontrado em uma etiqueta localizada em seu
interior.
10W
12V ---
SmartLPR® Speed
Ref.: 07000063
S/N: 04420130701001
Para acessar o sistema de configuração bastará escolher a via correspondente na
ferramenta de diagnóstico e selecionar a aba "Configuração" (pode-se acessar, também,
conectando um navegador da Internet à página http://<ip da unidade>).
Após ter conectado a unidade, será exibida uma janela onde será solicitada uma senha. Por
padrão, a senha é “quercus2”, mais adiante, se necessário, ela poderá ser mudada através das
opções de configuração.
Na mesma janela aparecerá uma lista de idiomas a través do qual o usuário poderá escolher a
linguagem do sistema.
Uma vez pressionado o botão "Validação", se acessará o sistema de configuração do
equipamento cuja janela está dividida em duas partes: à esquerda, o menu no qual se poderá
escolher as diversas opções da configuração; à direita, a tela específica da opção que se tenha
escolhido.
As opções estão divididas nas seguintes seções:
●
Configuração: permite a execução de alterações na configuração editando as variáveis
que ditam o comportamento da unidade. Também permite importar ou exportar toda a
configuração da unidade e aplicar as alterações ou descartá-los.
●
Configuração principal do sistema: permite configurar, mediante variáveis,
Quercus Technologies
47
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Hardware
parâmetros do sistema de reconhecimento (tempos de exposição, entradas e
saídas, etc.) ou gerais do sistema (endereço de IP, via horária, etc.).
●
Importar configuração de FTP: permite importar a configuração de um arquivo
gerado externamente.
●
Exportar configuração a FTP: permite exportar a configuração a um arquivo
externo.
●
Alterar password de configuração: permite o estabelecimento de uma nova
senha para poder acessar o sistema de configuração.
●
Aplicar alterações e reiniciar: aplicar as alterações feitas na seção "Configuração
principal do sistema" (ou depois de importar a configuração) e reiniciar a
unidade.
●
Descartar alterações: descarta as alterações feitos na seção "Configuração
principal do sistema".
●
Informação: permite ver informação da unidade como, por exemplo, o registro de
mensagens do leitor de placas, a versão do firmware, etc.
●
Informação do sistema: mostra informação do sistema (número de série, versão
do firmware, etc.)
●
Registro do leitor de placas: mostra o relatório que gera o sistema de leitura de
placas durante sua execução.
●
Registro do adaptador serial: mostra o relatório que gera o sistema interno de
comunicação serial. Somente existirá o arquivo se tiverem sido estabelecidas
comunicações seriais para a unidade.
●
Registro do disco de dados: exibe o relatório gerado após a verificação do disco
de dados, onde são armazenados os reconhecimentos. Essa verificação é feita
ao colocar o equipamento em funcionamento.
●
Registro do sistema de configuração: mostra o relatório que o sistema de
configuração da unidade gera.
●
Ver dados de reconhecimentos recentes: permite ver a imagem e os dados de
reconhecimento dos últimos 3 veículos.
●
Ver últimas imagens captadas: permite ver as imagens dos últimos cinco
veículos processados.
Dependendo da configuração do sistema, permite ver
todas as imagens captadas, não somente a enviada como reconhecimento.
●
Exportar relatório de estado a FTP: serve para gerar um relatório do estado da
unidade que servirá ao serviço de assistência técnica da Quercus disco de
dadosTechnologies para detectar possíveis erros na unidade.
●
Informação de contato: mostra as informações necessárias para poder contatar
a equipe de apoio técnico da Quercus Technologies.
Quercus Technologies
48
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
●
Hardware
Configuração data e hora: permite a execução de ajuste da data e hora da unidade.
●
Ajustar data e hora: permite o estabelecimento da data e hora atuais.
●
Sincronizar hora com o servidor: sincroniza a hora da unidade com a de um
servidor previamente configurado.
●
Firmware: permite atualizar o firmware ou restaurar o firmware original da unidade. A
partir do menu principal do firmware da unidade se pode acessar diversas funções do
mesmo:
●
Atualizar firmware: permite atualizar o firmware da unidade.
●
Restabelecer firmware original: permite retornar o firmware da unidade à versão
com que saiu de fábrica.
●
Formatar o disco de dados: permite formatar o disco de dados, onde são armazenados
os reconhecimentos.
9.1. Configuração principal do sistema
Quercus Technologies
49
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Hardware
A configuração geral do sistema se efetua editando uma série de variáveis que estabelecem
seu comportamento.
Se desejar recuperar o valor predefinido da variável deixe sua caixinha vazia. As mudanças
não serão aplicadas se não tiver sido selecionada a opção "Aplicar mudanças e reiniciar".
Para obter uma descrição do significado de uma variável, deixe o cursor do mouse durante
alguns instantes sobre o nome da variável e, então, aparecerá uma janela pop-up com as
informações sobre a variável.
Quando terminar de editar as variáveis não se esqueça de pressionar o botão "Guardar
alterações".
9.1.1. Variáveis
9.1.1.1. Communications
●
CentralSystemHost: endereço de IP do sistema central.
●
CentralSystemHost2: endereço de IP do segundo sistema central.
●
CentralSystemPort: porta pela qual o sistema central recebe as mensagens das
unidades.
●
CentralSystemPort2: porta pela qual o segundo sistema central recebe as mensagens
das unidades.
●
CompressionQuality: compressão que se usará para enviar as imagens em formato
JPEG (de 1 a 100). Quanto maior for o número, melhor será a qualidade da imagem em
uma imagem de tamanho maior.
●
ConfigurationServerPort: porta na qual o servidor de configuração da unidade esperará
as mensagens do protocolo de configuração.
●
DateProtocol: protocolo a usar na sincronização da data e hora. Seus possíveis valores
são "TIME" e "NTP". Caso se indique "TIME", se usará o protocolo especificado no
documento "ARPA Internet RFC 868"; caso se indique "NTP", se usará o protocolo
"Network Time Protocol".
●
DateServer: servidor de data e hora com o qual se sincronizará a unidade.
●
Gateway: porta de ligação para a saída a Internet. Deverá ser usada no caso do
sistema central estar fora da rede local onde a unidade se encontra; em caso contrário,
pode-se deixar indicando “127.0.0.1”.
●
HostName: nome da máquina, caso se queira dar-lhe um nome diferente a cada
unidade.
●
IP: endereço IP da máquina.
●
ListeningPort: porto pelo que a unidade esperará mensagens.
●
MaxMsgVersion: As mensagens geradas pela unidade não serão de uma versão superior
Quercus Technologies
50
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Hardware
a indicada, permitindo que as aplicações cliente que tem uma versão antiga do
protocolo possam estabelecer comunicação com as unidades novas sem ter que esperar
o mecanismo de negociação do protocolo realize essa tarefa.
●
NameServer1(2,3,4): servidores de DNS. Serão usados no caso dos endereços terem
sido especificados como nomes no lugar de IPs (por exemplo, “example1.quercus.biz”).
Se não desejar usar nomes na configuração da unidade pode deixar estes campos
apontando a "127.0.0.1".
●
NetMask: máscara de rede da unidade.
●
ObserversDefaultPort: porta por predefinição à qual se enviará a mensagem para os
observadores. Para mais informações consulte o Manual do programação SmartLPR®.
●
ObserversList: lista de endereços e portas dos observadores. Deve ser uma lista
separada por vírgulas "," onde cada elemento tem o formato <endereço>[:porta]. Caso
se
omita
a
porta,
usar-se-á
a
indicada
em
"ObserversDefaultPort".
Exemplo:
“192.168.1.3:4444, 192.168.1.4”. Para mais informações consulte o Manual do
programação SmartLPR®.
●
Password: password da encriptação de protocolo. Para mais informações consulte o
Manual do programação SmartLPR®.
●
Protocol: protocolo de comunicação a usar. Possíveis valores: UDP e Serial.
●
Retries: número de tentativas de enviar uma mensagem que se farão em caso de falha.
●
Timeout: tempo em milissegundos durante os quais se esperará a resposta a uma
mensagem antes de considerá-la não respondida.
9.1.1.2. Engine
São parâmetros de uso interno do sistema de reconhecimento de placas. Modificando-os se
pode conseguir um melhor índice de reconhecimento em circunstâncias muito especiais. Nunca
se deve modificar qualquer destes parâmetros exceto a pedido do departamento de suporte da
Quercus Technologies. O único parâmetro que devem ter em conta és:
●
EnableSquarePlates: Quando é igual a 0, está desabilitado o reconhecimento de placas
“quadradas”, ou seja, placas com duas linhas de caracteres. Quando é igual a 1,
habilita-se o reconhecimento de placas quadradas sempre e quando a gramática das
regiões configuradas permitirem. Essa opção permite capturar as placas traseiras de
alguns veículos. Não habilite essa opção se não for absolutamente necessário capturar
as
placas
Quercus Technologies
quadradas,
já
que
pode
diminuir
o
rendimento
do
sistema.
51
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Hardware
9.1.1.3. Global
●
DiskHistoricSize: espaço reservado
(em Mb) para armazenar os reconhecimentos na
unidade. Se seu valor for igual a -1 indica funcionamento compatível com a versão
3.3.x ou anteriores; E com valor 0 indica que não será utilizado o histórico (ainda que
salva sempre o último reconhecimento).
●
LogFilter: cadeia de texto que se estabelecerá como filtro das mensagens que se
querem ver no arquivo de registro. Este filtro permite usar "*" como padrão para
indicar qualquer cadeia de texto. Por exemplo, caso se estabeleça o filtro *Photo*,
somente aparecerão as mensagens nas quais apareça a cadeia Photo. Por predefinição
o filtro está em "*", ou seja, mostram-se todas as mensagens.
●
●
LogLevel: nível de informação que se mostrará no registro. Possíveis valores:
●
1: Message; serão exibidas todas as mensagens.
●
2: Warning; só serão exibidas as mensagens de aviso ou de erro.
●
3: Error: só serão exibidas as mensagens de erro.
SystemId: identificador da unidade. Cada unidade de um sistema SmartLPR® Speed
deve ter um identificador único.
●
TimeZone: zona horária na que se encontra a máquina. É usado para que a
sincronização de data e hora leve em conta os deslocamentos horários. Os possíveis
valores podem-se ver no apêndice B.
●
Watchdog: ativa um componente hardware que reinicia a unidade em caso de mau
funcionamento. Os possíveis valores são: 1 ativo, 0 inativo.
●
WorkingMode: modo de funcionamento da unidade. Possíveis valores:
●
Software: é o sistema central o que determina em que momento se deve efetuar
um reconhecimento.
●
Hardware: a unidade detecta os movimentos dos veículos e determina por si
mesma o momento da execução de um reconhecimento (sempre que chega um
novo veículo).
●
Continuous: a unidade captura permanentemente imagens e reconhece as
placas. Quando uma placa é detectada envia-se ao sistema central os dados da
mesma.
●
WorkingDirection: direção de funcionamento. Possíveis valores: Front, la unidade está
focada para capturar a placa frontal; Rear, la unidade está focada para capturar a placa
traseira. Consulte a variável “Engine/EnableSquarePlates” para mais informações sobre
la captura traseira.
Quercus Technologies
52
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Hardware
9.1.1.4. IO
●
SensorChannel: bit do cartão de E(S) que se usará como sensor. Posibles valores: de 0
a 1 ou –1 se não se vai usar o sensor.
●
SensorFilterTime: tempo (em ms) de filtro de ressaltos das entradas do cartão E/S.
●
UsedInputs: lista separada por vírgulas das entradas que devem notificar sua alteração
de estado ao sistema central. Os valores podem ser 0 e 1.
9.1.1.5. OSD
São parâmetros que permitem configurar que informação deve sobrescrever-se como texto
diretamente dentro da própria imagem.
●
Active: indica se o sistema de sobreinscrição deve estar ativo ou não: 0 o desativa, 1 o
ativa.
●
Position: posição da imagem onde se deve mostrar o texto. Os possíveis valores são:
●
LeftTop: o texto se mostra na parte
superior
esquerda,
justificado
à
esquerda.
●
RightTop: o texto se mostra na parte
Imagem
superior direita, justificado à direita.
●
RightTop:
LeftTop:
LeftBottom: o texto se mostra na
parte inferior esquerda, justificado à
LeftBottom:
RightBottom:
esquerda.
●
RightBottom: o texto se mostra na
parte inferior direita, justificado à direita.
Cada campo que pode sobrescrever-se na imagem está definido por duas variáveis:
●
Label XXX: indica o texto que se deve mostrar antes do valor da variável XXX. Por
exemplo, se LabelCarId é igual a "Identificador veículo" e chega o veículo 3, mostrarse-á na imagem "Identificador veículo 3". Se o campo está vazio não se mostrará
nenhum texto antes do valor do campo.
●
OrderXXX: indica a ordem na qual se mostrará o campo XXX relativamente aos demais;
se o valor é -1 não se mostrará. Por exemplo, se OrderCarId é 3, OrderLicense é 2 e
OrderMinQuality é 1 se mostrará primeiro o campo MinQuality, depois License e por
último CarId.
Os campos disponíveis são os seguintes:
●
AvgQuality: qualidade média da placa reconhecida (entre 0 e 1).
Quercus Technologies
53
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Hardware
●
CarId: identificador do veículo.
●
Chars placa reconhecida sem espaços nem roteiros nem nenhum tipo de decoração
adicional.
●
Country: letra ou letras que identificam o país pelo qual se reconheceu a placa.
●
GrammarOk: indica se a placa obedece a alguma gramática conhecida: 1, obedece; 0,
não obedece.
●
LaneId: identificador da via da qual procede a imagem.
●
License: placa reconhecida com a decoração adicional que corresponda (espaços,
roteiros, etc.). Se a placa não obedece a nenhuma gramática, este campo não conterá
decorações.
●
MinQuality: qualidade do caráter pior reconhecido da placa (entre 0 e 1).
●
NumberOfUnknownChars: número de caracteres desconhecidos (marcados como
interrogante na placa).
●
Qualities: qualidades individuais dos caracteres (entre 0 e 1, separados por vírgulas).
●
Roi: retângulo dentro da imagem no qual se encontra a placa em formato
"(<esquerda>,<acima>)-(<direita>,<abaixo>)". Se a placa não obedece a nenhuma
gramática ou está vazia, o valor deste campo serão as dimensões da imagem.
●
Timestamp:
data
e
hora
do
reconhecimento
em
formato
"ano-mês-dia
hora:minuto:segundo".
●
TriggerId: identificador do trigger que desencadeou o reconhecimento.
9.1.1.6. PPU
●
Host: IP do módulo SmartLPR® Power Process Unit com o qual se comunicará a
unidade.
●
Port: porta pela qual o módulo receberá as mensagens das unidades.
●
Reserved1: reservado. Não modificar salvo indicação expressa do departamento de
suporte da Quercus Technologies.
Ver o capítulo 11 Apêndice A: SmartLPR® Power Process Unit para mais informações.
9.1.1.7. Recolhnizer
●
DelayTime: pode ter três aplicações distintas:
●
Atraso do sensor: DelayTime negativo. Indica o tempo em milissegundos que
será antecipada intencionalmente a captura das imagens a partir do momento
que um veículo é detectado pelo sensor ( ou em unidades configuradas em
modo software, desde que receba uma mensagem de “Trigger”). Utiliza-se
Quercus Technologies
54
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Hardware
principalmente no caso em que o sensor introduz um atraso conhecido e
identifique na detecção do veículo.
Por exemplo, se no sensor de detecção
existe um relê que atrasa 50 ms ao ativar deverá indicar “Delaytime = -50”
●
Sensor entre o campo de visão e a câmara:
indicado
quando,
por
razões
físicas,
DelayTime negativo. Seu uso é
o
sensor foi colocado em uma posição mais
avançada do que a ideal.
Detector
No esquema
Unidad
e
anexo é o tempo que tarda o veículo a
percorrer o espaço representado com a seta
Campo de visão
vermelha Esta solução não é aconselhável já que o tempo que atrasará o
veículo dependera de sua velocidade.
●
Sensor no campo de visão da câmara: DelayTime positivo. Indica o tempo em
milissegundos
que
será
retrasada
intencionalmente a captura de imagens a
partir
do
momento
que
um
veículo
é
Detector
Unidade
detectado pelo sensor (ou, pelas unidades
configuradas em modo software, desde o
Campo de visão
recebimento da mensagem de "Trigger"). Seu uso é indicado quando, por razões
físicas, o sensor foi colocado em uma posição mais avançada do que a ideal.
No esquema anexo é o tempo que tarda o veículo a percorrer o espaço
representado com a seta vermelha. Esta solução não é aconselhável já que
o tempo que atrasará o veículo dependera de sua velocidade.
●
EmptyLicenseOnGrammarFailed:matrícula devolver em caso de la gramática no seja
correta. Possíveis valores: 0 (placa sem alterações), 1 (placa com interrogantes) y 2
(placa vazia).
●
ExposureTimes: lista de tempos de exposição em microssegundos que se usarão para a
captação de imagens. Deve haver um total de 7 tempos de exposição definidos.
●
ImagesToSave: indica que a unidade armazenará temporariamente as imagens que
capta. Os possíveis valores são: “None”, não armazenar nenhuma imagem; “Best”
armazenar a imagem escolhida como melhor imagem do veículo; “All” armazenar todas
as imagens do veículo. Se for selecionado qualquer valor diferente de "None"
aparecerá, no servidor FTP da máquina, uma pasta "LastImages" na qual estarão as
imagens armazenadas em formato BMP. Armazenar-se-ão as imagens dos últimos três
veículos. O modo continuo "All" equivale a "Best".
●
MaxNumberOfUnknownChars: número máximo de caracteres desconhecidos (ou
Quercus Technologies
com
55
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Hardware
baixa qualidade) que seriam aceitados em uma placa para considerar-la como válida
(somente é usado em modo Contínuo).
●
MinAvgQuality: qualidade media mínima que deverá ter uma placa para considerar-la
como válida (somente é usado em modo Contínuo). Possíveis valores de 80 a 100.
●
Regions/Spain, Regions/Denmark, etc.: países para os quais se quer reconhecer as
placas. Para ativar o reconhecimento de placas de um país, se deverá dar-lhe um valor
numérico maior que zero.
O valor que seja dado indicará a ordem de prioridade (em ordem ascendente) que terá
dito país na lista de países reconhecidos. Nos casos em que o motor de reconhecimento
tenha dúvidas sobre uma placa, tentará ajustá-la para que obedeça às normas
gramaticais dos países mais prioritários.
Deve-se ter em conta que para maior número de países ativos, menor será a
confiabilidade de reconhecimento e maior o tempo de resposta.
Para desativar um país deverá estabelecer-se um valor "-1".
●
Reserved 1,2,3,4: parâmetros reservados. Não modificar, salvo indicação expressa do
departamento de suporte da Quercus Technologies.
●
SendRepeatedLicenses: indica, em caso de encontrar uma placa repetida, se a mesma
deve ser enviada (1) ou não (0) (somente é usado em modo Contínuo).
●
SendRepeatedLicensesTimeout: tempo mínimo em milissegundos que transcorrerá
entre o envio de duas placass idênticas quando a variável 'SendRepeatedLicenses' seja
igual a 1 (somente é usado em modo Contínuo).
Exemplo:
Se a variável "SendRepeatedLicencesTimeout"=10000 e reconhece a placa, esta mesma
placa não voltará a reconhecer-se e enviar-se até passar 10 segundos.
9.1.1.8. Serial
●
Baudrate: velocidade de transmissão da porta serial (basta configurá-la caso se tenha
escolhido comunicações seriais). Possíveis valores: 57600, 19200, 9600, 4800, 2400,
1200, 600 e 300.
9.2. Importar configuração de FTP
Serve para carregar na unidade uma configuração predefinida de forma externa (pelo serviço
de assistência técnica da Quercus Technologies). Para isso, primeiramente se deverá carregar
na unidade (mediante FTP) o arquivo "Config.dat", anexado pelo departamento de suporte da
Quercus Technologies A seguir, já será possível escolher esta opção. Levar em conta que todas
Quercus Technologies
56
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Hardware
as mudanças que tiverem sido feitas na configuração da unidade serão perdidas. As mudanças
não serão aplicadas se não tiver sido selecionada a opção "Aplicar mudanças e reiniciar".
9.3. Exportar configuração para FTP
Sua utilidade é proporcionar a configuração atual ao serviço de assistência técnica da Quercus
Technologies para que este possa assistir-lhe na configuração da unidade ou para efetuar uma
cópia de segurança da configuração da unidade. Se essa opção for selecionada, será gerado no
servidor FTP um arquivo denominado "Config.dat", que conterá a configuração atual da
unidade. Basta copiar esse arquivo do servidor FTP para a unidade ou através do link fornecido
pelo próprio sistema de configuração.
9.4. Alterar senha de configuração
Permite introduzir uma nova senha para acessar o sistema de configuração. Deverá introduzir
a senha atual e a nova senha em duplicado (para evitar erros de digitação que possam fazer
com que se introduza uma senha equivocada). A nova senha será vigente desde o momento
em que esta se introduza.
9.5. Aplicar alterações e reiniciar
Esta opção torna permanentes as alterações efetuadas em "Configuração principal do sistema"
e reinicia usando a nova configuração. A opção também deve ser utilizada para aplicar as
mudanças depois de ter importado a configuração do FTP.
9.6. Descartar mudanças
Esta opção descarta todas as alterações feitas em "Configuração principal do sistema".
9.7. Informações sobre o sistema
Esta opção permite o conhecimento do número de série, a data de produção da unidade, a
versão do produto e outros dados que o serviço de apoio técnico da Quercus Technologies
pode necessitar para poder oferecer-lhe ajuda em caso de dúvidas na configuração,
atualizações, etc.
9.8. Registro do leitor de placas
Mostra o relatório gerado pelo sistema de leitura de placas durante sua execução. Cada linha
Quercus Technologies
57
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Hardware
do relatório está dividida em partes separadas pelo símbolo "|". A primeira parte mostra a data
e hora em que ocorreu (em formato "Ano-Mês-Dia Hora:Minuto:Segundo"). A segunda parte
mostra o nível de gravidade da mensagem, que pode ser:
●
"Message": mensagens informativas.
●
"Warning": avisos que não têm porque significar nenhum tipo de erro, mas devem-se
ter em conta no caso de que envolvam um erro de configuração.
●
"Error": erros; podem significar erros na configuração ou erros no hardware da
unidade.
A quarta parte é a mensagem propriamente dita.
Em caso de funcionamento incorreto da unidade, consulte este registro, dado que
muito provavelmente lhe informará do erro produzido.
O registro inteiro pode ser descarregado através do link da parte superior da janela.
9.9. Registro do adaptador serial
Exibe o relatório gerado pelo sistema interno de comunicação serial. O arquivo só existirá se
foram definidas comunicações seriais para a unidade. Tem o mesmo formato que o registro do
leitor de placas.
9.10. Registro do disco de dados
Exibe o relatório gerado após a verificação do disco de dados, onde são armazenados os
reconhecimentos. Essa verificação é feita ao colocar o equipamento em funcionamento e
informa sobre a situação do disco. Se houver falhas, são descritas no relatório as medidas
apropriadas para tentar solucioná-las.
9.11. Registro do sistema de configuração.
Mostra o relatório gerado pelo sistema de configuração da unidade.
9.12. Ver dados de reconhecimentos recentes
Mostra a imagem captada para os últimos 10 reconhecimentos. Caso se pressione sobre uma
imagem , ela é mostrada no tamanho real, além dos dados armazenados no arquivo XML (veja
o manual de programação SmartLPR® para mais informações).
Quercus Technologies
58
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Hardware
9.13. Ver últimas imagens captadas
Mostra um mosaico com as imagens dos últimos três veículos processados.
Para que o sistema de reconhecimento crie estas imagens deverá estar configurada a variável
"Recolhnizer->ImagesToSave" a "Best" ou "All" (para que armazene somente a melhor
imagem do veículo ou uma de cada tempo de exposição empregado, respectivamente).
Para ver uma imagem o tamanho real, bastará pressionar sobre ela.
A visualização destas imagens pode ser muito útil para determinar se a câmera está
corretamente ajustada, dado que se pode ver uma sequência de imagens de cada veículo em
vez de uma única imagem, que é o que se pode ver durante o funcionamento normal do
equipamento.
9.14. Exportar relatório de estado a FTP
Sua utilidade é proporcionar um relatório detalhado do estado do equipamento ao serviço de
assistência técnica da Quercus Technologies para que este possa dar-lhe assistência em casos
de funcionamento errado da unidade. Se for selecionada esta opção, será gerado no servidor
FTP um arquivo com nome "SystemStatus.dat" que conterá o relatório. Não mais será
necessário copiar o arquivo do servidor de FTP da unidade ou mediante a ligação
proporcionada pelo próprio sistema de configuração.
9.15. Informação de contato
Fornece as informações necessárias para poder contatar o serviço de assistência técnica da
Quercus Technologies (e-mail, telefone, etc.)
9.16. Ajustar data e hora
Permite estabelecer manualmente a data e hora interna da unidade. A nova data e hora serão
efetivas desde o momento em que se estabeleça (sem ter que reiniciar a unidade).
9.17. Sincronizar hora com o servidor
Serve para sincronizar a hora com o servidor de hora previamente configurado na variável
"Communications -> DateServer". A hora pode ser sincronizada automaticamente uma vez por
dia, mas pode ser forçada em qualquer momento mediante esta opção.
Quercus Technologies
59
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Hardware
9.18. Atualizar firmware
A atualização do firmware serve para incorporar na unidade versões mais novas do sistema de
reconhecimento da Quercus Technologies, quer para reparar erros detectados quer para
incorporar novas funcionalidades.
9.18.1. Passos anteriores a atualização
Antes de proceder à instalação de uma atualização é preciso disponibilizá-la na unidade que
será atualizada. Para isso, é preciso seguir os seguintes passos:
1. Obter da Quercus Technologies um arquivo de atualização de firmware (arquivos com
extensão .upd). ATENÇÃO: NUNCA tente instalar uma atualização que não provenha
diretamente do serviço de assistência técnica da Quercus Technologies, dado que
poderia danificar irremediavelmente o firmware da unidade. A garantia do produto será
imediatamente cancelada no caso de se detectar uma manipulação fraudulenta do
firmware instalado.
2. Utilize a ferramenta de diagnóstico para transferir o arquivo à unidade mediante FTP ou
abra uma conexão FTP à unidade (direção ftp://<ip_de_a_unidade>). A identificação e
password são as mesmas que as usadas para acessar a configuração (por default:
utilizador "admin", password "quercus2"). Se for acessar diretamente com Microsoft
Internet Explorer, use o endereço ftp://[email protected]<ip_de_la_unidad>, dessa forma,
poderá inserir a senha.
3. Carregue o arquivo de atualização no servidor FTP.
4. Feche a conexão FTP.
Observar que os dados carregados no servidor FTP não são salvos de forma permanente (são
perdidos cada vez que a unidade é reiniciada), de forma que não carregue o arquivo até o
momento em que for realmente fazer a atualização.
9.18.2. Atualização
Após carregar o arquivo no servidor FTP, já pode realizar a atualização do sistema. Para isso,
deverá selecionar a opção “Atualizar firmware” do menu.
Se existirem arquivos de atualização no servidor, será solicitado o nome do arquivo; selecione
o arquivo adequado (normalmente, só haverá um disponível).
Aparecerá uma descrição na
qual se descreverão as ações que serão levadas a cabo: Se estiver de acordo, pressione o
botão "Atualizar". Após finalizar a atualização, será exibida uma tela com o resultado da
atualização e a unidade será reiniciada, já funcionando com o novo firmware.
A atualização do firmware da unidade é uma operação delicada. Se ainda tiver dúvidas sobre
Quercus Technologies
60
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Hardware
os passos a serem seguidos, não hesite em contatar o departamento de suporte da Quercus
Technologies, pois nossos funcionários lhe darão orientação para que possa realizar a
atualização com segurança. Além disso, leve em conta os seguintes aspectos:
●
A atualização do firmware não faz perder a configuração atual da unidade.
Mesmo assim, é possível que o novo firmware exija a configuração de
parâmetros adicionais (que estarão, inicialmente, com seu valor padrão).
Consulte a documentação anexada à atualização para saber quais os passos a
serem seguidos depois de tal processo.
●
Não tente efetuar a atualização em momentos nos quais tenha altas probabilidades de
sofrer algum corte intermitente de corrente. Embora se tenha tentado que o processo
de atualização seja o mais confiável possível, cabe a possibilidade (remota) de que se
danifique de forma irreversível o firmware da unidade.
●
Este processo envolve a interrupção do sistema de reconhecimento enquanto dura a
operação. Não o faça em momentos em que necessita que a unidade se mantenha
operativa.
●
Verifique se a atualização foi efetuada com êxito. Para isso, consulte a versão que a
unidade lhe retorna antes e depois do processo, por exemplo, mediante a ferramenta
de diagnóstico.
9.19. Restabelecer firmware original
Essa opção permite recuperar o firmware da unidade (e a configuração) original de fábrica. Se
essa opção for selecionada, será exibida uma descrição onde serão descritas as ações que
serão realizadas: Se estiver de acordo, pressione o botão "Restabelecer". Após finalizar a
restauração, será exibida uma tela com o resultado e a unidade será reiniciada, já funcionando
com o firmware original.
A restauração do firmware da unidade também é uma operação delicada. Tenha em conta os
seguintes aspectos:
●
A restauração do firmware comporta a perda total da configuração atual e o
restabelecimento da configuração original de fábrica. O equipamento voltará a
ter o mesmo endereço IP que tinha originalmente.
●
Não tente efetuar a restauração em momentos nos quais tenha altas probabilidades de
sofrer algum corte intermitente de corrente. Embora tenhamos nos empenhado para
que o processo de restauração seja o mais confiável possível, existe a possibilidade
(remota) de que o firmware da unidade sofra danos irreversíveis.
●
Este processo envolve a interrupção do sistema de reconhecimento enquanto dura a
Quercus Technologies
61
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Hardware
operação. Não o faça em momentos em que necessita que a unidade se mantenha
operativa.
●
Verifique se a restauração foi realizada com sucesso. Para isso, consulte a versão que a
unidade lhe retorna antes e depois do processo (qualquer uma das bibliotecas de
desenvolvimento de SmartLPR® Speed permite consultar a versão de uma unidade).
Se houver alguma falha na restauração, consulte o capítulo 9.22Restauração de emergência do
firmware. Nela se explica um método alternativo de recuperação do firmware original.
9.20. Formatar o disco de dados
Essa opção permite formatar o disco de dados da unidade, onde são armazenados os
reconhecimentos. Essa opção é útil se desejar apagar todos os reconhecimentos armazenados
na unidade ou se o “Registro do disco de dados” indicar que deve ser formatado. Se essa
opção for selecionada, será exibida uma descrição onde serão descritas as ações que serão
realizadas: Se estiver de acordo, clique no botão “Formatar”. Após finalizar a restauração,
aparecerá uma tela com o resultado; é imprescindível ler o relatório completo e verificar se
houve algum erro durante o processo de formatação. Se esse processo foi finalizado de forma
satisfatória, a unidade deverá ser reinicializada para que ela possa funcionar com o disco
formatado; caso contrário, informe o departamento de Suporte da Quercus Technologies.
A formatação do disco de dados também é uma operação delicada. Tenha em conta os
seguintes aspectos:
●
A formatação implica a perda total dos reconhecimentos armazenados na
unidade, assim como todos os outros arquivos baixados no FTP pelo usuário.
●
Não tente efetuar a formatação em momentos em que haja alta probabilidade de sofrer
algum corte intermitente de corrente elétrica. Embora tenhamos nos empenhado para
que o processo de formatação seja o mais confiável possível, existe a possibilidade
(remota) de que o firmware da unidade sofra danos irreversíveis.
●
Esse processo exige a interrupção do sistema e do serviço de FTP/SFTP enquanto durar
a operação. Não o faça em momentos em que necessita que a unidade se mantenha
operativa.
●
Verifique se a formatação foi realizada com sucesso. Para isso, leia atentamente o
relatório exibido no final do processo.
●
Observe que o processo de formatação pode durar alguns minutos durante os quais
a unidade não pode ser interrompida ou reiniciada.
Quercus Technologies
62
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Hardware
9.21. Restauração dos parâmetros de configuração
O sistema de restauração dos parâmetros de configuração permite restabelecer os parâmetros
de configuração originais da unidade de forma independente do sistema de configuração
(através do botão de pressão).
Atenção: o sistema de restauração dos parâmetros de configuração somente deve ser usado
caso não seja possível
restaurar mediante o método software habitual (sistema de
configuração). Seu uso é indicado, por exemplo, para recuperar o endereço IP de fábrica de
uma unidade na qual seu endereço IP atual é desconhecido.
Para restaurar os valores de configuração de fábrica mediante este método se deverão seguir
estes passos:
1. Pressione o botão e mantenha-o pressionado.
2. Ouvirá uma série de apitos curtos seguida de um apito mais longo.
3. A unidade reiniciará. Se sua intenção era somente reiniciá-la, já pode liberar o botão.
4. Se mantiver o botão pressionado, ouvirá, ao fim de cerca de 50 segundos uma série de
apitos em duração descendente seguidos de um apito mais longo.
5. Libere o botão antes do final da seguinte série de apitos.
Atenção: Em caso de não liberar o botão antes da finalização da seguinte série de
apitos, se procederá uma restauração de emergência do firmware. (ver o capítulo 9.22
Restauração de emergência do firmware).
6. A unidade restaurará os valores de configuração de fábrica e reiniciará.
7. Uma vez que ouça o apito normal de início da unidade, a mesma já estará em
funcionamento com a sua configuração de fábrica.
8. Alguns parâmetros de fábrica não estarão em uso até que não selecione a opção
"Aplicar alterações e reiniciar" (ver o capítulo 9.5 Aplicar alterações e reiniciar).
Os apitos de “Restauração de emergência” e “Reset” poderão ser diferenciados, porque estes
últimos são constantes e os primeiros vão aumentando sua freqüência.
9.22. Restauração de emergência do firmware
O sistema de restauração de emergência permite restabelecer o firmware original da unidade
de forma independente do sistema de configuração (através do botão de reset).
Atenção: o sistema de restauração de emergência somente deve ser usado caso não se possa
restaurar o firmware mediante o método software habitual (sistema de configuração). Pode ser
Quercus Technologies
63
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Hardware
usado, por exemplo, se ocorreu um corte de corrente enquanto se atualizava o firmware da
unidade e este ficou em mau estado.
Para restaurar o firmware mediante este método se deverão seguir estes passos:
1. Pressione o botão e mantenha-o pressionado.
2. Ouvirá uma série de apitos curtos seguida de um apito mais longo.
3. A unidade reiniciará. Se sua intenção era somente reiniciá-la, já pode liberar o botão.
4. Se mantiver o botão pressionado, ouvirá, ao fim de cerca de 50 segundos uma série de
apitos em duração descendente seguidos de um apito mais longo.
5. Depois voltará a ouvir a mesma série de apitos em duração descendente seguidos de
um apito mais longo.
6. Libere o botão.
7. A unidade restaurará o firmware (e configuração) original de fábrica e reiniciará
utilizando esse firmware.
8. Após ouvir o apito normal de início de funcionamento da unidade, esta já estará
funcionando com sua configuração original de fábrica.
Os apitos de “Restauração de emergência” e “Reset” poderão ser diferenciados, porque estes
últimos são constantes e os primeiros vão aumentando sua freqüência.
Quercus Technologies
64
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Hardware
10. Instalação passo a passo
As unidades de carcaça foram concebidas para que pudessem ser instaladas, com os
correspondentes componentes opcionais, nas seguintes configurações:
●
Na parede. Com a ajuda do suporte para parede.
●
Em teto. Com a ajuda do suporte para teto.
●
Em poste cilíndrico vertical. Com a ajuda do suporte para mastro + suporte para
parede.
A seguir, detalhamos a instalação em cada uma de suas possíveis configurações.
10.1. Instalação na parede
Una o suporte à parede
Posicione o suporte na parede deixando a saída de cabos no
interior do suporte e marque os pontos a perfurar.
Retire o suporte e efetue os furos com a ajuda de uma
furadeira.
Coloque as buchas na parede.
Ponha o suporte na posição e passe os cabos pela fenda
destinada para tal efeito.
Fixe firmemente o suporte usando os parafusos.
Una o suporte com a unidade
Coloque a unidade na cabeça basculante do suporte e fixe-a
através dos dois orifícios desta, usando os parafusos de métrica 5
fornecidos. Nunca utilize parafusos mais longos que os fornecidos,
dado que poderia danificar a unidade. Coloque-a de forma que a
parte da cabeça basculante com a cabeça allen fique à direita da
unidade (vista de trás).
Quercus Technologies
65
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Hardware
10.2. Instalação em teto
Una o suporte ao teto
Posicione o suporte no teto deixando a saída de cabos no interior do suporte e
marque os pontos a perfurar.
Retire o suporte e efetue os furos com a ajuda de uma furadeira.
Coloque as buchas no teto.
Ponha o suporte na posição e passe os cabos pelo interior do suporte fazendoos sair pelo orifício na extremidade deste.
Fixe firmemente o suporte usando os parafusos.
Coloque o adaptador plano no suporte
Oriente-o de forma que saia pela parte lateral direita da unidade (vista de
trás).
Una o suporte com a unidade
Coloque a unidade em cima da plataforma do suporte e fixe-a
através da ranhura desta com os parafusos de métrica 5
fornecidos. Nunca utilize parafusos mais longos que os
fornecidos, dado que poderia danificar a unidade.
Quercus Technologies
66
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Hardware
10.3. Instalação em mastro vertical
Una o suporte de parede ao de mastro
Fixe firmemente o suporte usando os parafusos.
Coloque o suporte para mastro
Fixe firmemente o adaptador para mastro vertical usando
os pinos com rosca que o acompanham e as respectivas
porcas.
Una o suporte de parede com a unidade
Coloque a unidade na cabeça basculante do suporte e fixe-a
através dos dois orifícios desta, usando os parafusos de métrica 5
fornecidos. Nunca utilize parafusos mais longos que os fornecidos,
dado que poderia danificar a unidade.
Quercus Technologies
67
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Hardware
10.4. Procedimentos comuns
Nesta seção, descrevem-se os processos comuns a todos os métodos de instalação (teto,
parede, mastro, etc.)
Abra a unidade
Retire os parafusos dos fechos da unidade.
Retire a parte superior da carcaça verticalmente para cima.
Passe os cabos para dentro da unidade
Use os três de passagem de cabos da parte traseira da
unidade para fazer chegar o cabeamento (alimentação,
rede/serial e E/S) ao interior da unidade.
Conecte o cabo de rede
Utilize a régua desconectável de terminais J1. As conexões
estão descritas na seção 8.1 Pinouts.
Quercus Technologies
68
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Hardware
Conecte o cabo serial RS-232
Só será necessário se o protocolo que a unidade vai usar
é RS-232. Utilize a régua desconectável J2. As conexões
estão descritas na seção 8.1 Pinouts.
Conecte as entradas e saídas digitais
Só é necessário se for utilizar as entradas e saídas
digitais da unidade. Utilize as réguas desconectáveis de
terminais J3 e J4. As conexões estão descritas na seção
8.1 Pinouts.
Para mais detalhes sobre o funcionamento do sistema de entrada/saída veja a seção 8.3
Características do sistema de E/S.
Conecte o cabo de alimentação
No modelo de carcaça alimentado em DC conecte o cabo de
alimentação em uma régua de alimentação da parte traseira da
unidade.
PE
+-
No modelo de carcaça AC conecte o cabo
condutor de linha ao terminal (L), o Neutro ao
(N) e o terra ao (PE). Volta a colocar a tampa de
proteção transparente nos terminais da fonte.
Evite que a malha do cabo de alimentação faça
L N PE
contato com qualquer parte metálica.
Quercus Technologies
69
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Hardware
10.5. Ajuste da óptica
Para efetuar os ajustes com comodidade, é necessário dispor de um computador portátil com a
ferramenta de diagnóstico SLPRDiag instalada e um cabo de rede cruzado entre o computador
portátil e o terminal de rede da unidade.
Todas as unidades estão configuradas para encontrar o sistema central no endereço
192.168.1.199 e, portanto, é necessário atribuir esse endereço IP ao computador portátil que
for usar para realizar os ajustes. Ver o capítulo 9 Firmware para saber como obter o endereço
IP padrão de cada unidade.
Para ajustar a câmera, é necessário seguir os seguintes passos:
1. Localize na tabela o aparelho 2.1 Projeto e execução da obras de construção civil, a
linha correspondente a situação da via: altura que está a câmera e largura máxima na
parte inferior da imagem.
2. Fixar a unidade na inclinação indicada na tabela (β). Um inclinômetro ajuda a obter a
inclinação da câmera. Obviamente o ângulo da unidade deverá estar em relação à
superfície da estrada. Por outro lado, se a mesma está inclinada, deverá adicionar ou
subtrair a inclinação na unidade em relação a horizontal para manter o ângulo indicado
com a estrada.
3. Coloque o zoom da câmera (anel central da lente) ao valor obtido na tabela (capítulo
2.1 Projeto e execução da obras de construção civil) para o campo Zoom.
4. Se é necessário cerrar o tráfego da via no ajuste, coloque um cone em cada
extremidade do campo de visão da câmera. Poderá obter todas as distâncias da tabela
Sensor
de valores (A1,L1,A2 y L2).
5. Conecte o cabo de rede cruzado entre a unidade e o computador portátil.
Quercus Technologies
70
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Hardware
6. Ligue o laptop e a ferramenta de diagnostico.
7. Alimente para que a mesma ligue.
8. Coloque a lente da unidade em uma abertura F 1.4.
9. Selecione, na barra de botões, o sistema remoto e unidade que corresponde.
10. Clique sobre a aba “Câmera ao vivo”.
11. Selecione um valor para o tempo de exposição da câmera. O valor deve estar entre 100
e 1000, 100 para zonas com muita luz (exterior com luz solar) e 1000 para zonas
escuras (interiores de estacionamentos, por exemplo). Pressionando o botão “Iniciar”
poderá ver as imagens da câmera. Se é necessário alterar o tempo de exposição,
pressione o botão “Parar”, altere o tempo e volte a pressionar o botão “Iniciar” ou
utilize as flechas anterior/seguinte para diminuir/aumentar de 20% do tempo da
exposição.
12. Se coloca os dois cones, verificar que cada um aparece no limite da visão da câmera
nas pontas da imagem. Se não é assim, altere a inclinação e/ou o zoom da câmera até
que ambos fiquem ajustados nos limites.
13. Ajuste o foco da câmera para que a imagem apareça nítida em todo o campo visual da
unidade. Faça uso das ajudas ao foco que fornece a ferramenta de diagnostico para
obter um foco mais preciso.
14. Uma vez a imagem seja nítida, retorne a abertura da lente a F4.
15. Aperte os parafusos dos anéis da lente para que a imagem não se desconfigure no
futuro.
10.6. Configuração básica do firmware
Caso se use a unidade com comunicações seriais (e não deseja instalar o cabo de rede),
deverá efetuar toda a configuração com a unidade aberta. Nesse caso, consulte o capítulo 9
Firmware para saber todos os parâmetros de configuração da unidade. Se pelo contrário a
unidade vai ser usada com comunicações UDP, somente será necessário alterar o endereço de
IP da unidade e o identificador da mesma, dado que a restante configuração poderá ser feita a
partir de qualquer máquina conectada à rede.
Siga os seguintes passos:
1. Através do computador portátil, com a ferramenta de diagnóstico ou com um
navegador da Internet, acesse o sistema de configuração da unidade.
2. Introduza a password ("quercus2" predefinido) e aparecerá o menu principal.
3. Clique na opção "Configuração geral do sistema”.
4. Na variável "Communications/CentralSystemHost" introduza o endereço de IP da
Quercus Technologies
71
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Hardware
máquina com que deverá comunicar-se a unidade (a que execute o software cliente).
Esse passo não é necessário se for usar comunicações seriais.
5. Na variável “Communications/IP” insira o endereço IP que corresponderá à unidade na
rede. Se a unidade e o sistema central estão em redes diferentes deverá modificar
também as variáveis "Communications/Gateway" e "Communications/Netmask".
6. Na variável "Global/SystemId" introduza um identificador numérico único em todo o
sistema SmartLPR®. Por exemplo, se seu sistema SmartLPR® possuir três unidades,
identifique-as como 1, 2 e 3, respectivamente.
7. Clique no botão “Salvar mudanças”.
8. No menu principal, selecione a opção “Aplicar mudanças e reiniciar”. Será solicitado
uma confirmação para
reiniciar. Clique no botão “Aplicar” para aceitar e a unidade
reiniciará com a nova configuração.
10.7. Fechamento da unidade
Uma vez efetuada a configuração básica, dê os passos abaixo:
1. Retire o cabo de rede cruzado do computador portátil.
2. Conecte o cabo de rede definitivo.
3. Coloque a parte superior da carcaça e fixe-a com os parafusos.
Quercus Technologies
72
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Apêndices
Apêndices
73
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Apêndices
11. Apêndice A: SmartLPR® Power Process Unit
11.1. Introdução
11.1.1. O que é o SmartLPR® Power Process Unit
SmartLPR® Power Process Unit é um módulo externo que adiciona funções aos produtos da
família SmartLPR®. Com esse módulo em funcionamento e devidamente configurado as
unidades adquirem a capacidade de reconhecer placas com caracteres não latinos.
NOTA: não é possível usar o módulo SmartLPR ® Power Process Unit em unidades
SmartLPR® Speed configuradas em modo de funcionamento contínuo (continuous).
Ver 9.1.1.3Global.
11.1.2. Compatibilidade
SmartLPR® Power Process Unit é compatível com os seguintes produtos.
Produto
Versão
SmartLPR Access
3.x.x
SmartLPR Speed
3.x.x
11.1.3. Capacidade
Cada módulo SmartLPR® Power Process Unit pode suportar até 20 unidades. Esse número
pode ser menor dependendo do tipo de instalação e necessidades do desempenho do sistema.
Em caso de dúvidas, consulte o departamento de suporte da Quercus Technologies.
11.1.4. Integração
O módulo SmartLPR® Power Process Unit utiliza o protocolo TCP/IP para comunicação com as
unidades configuradas.
74
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Apêndices
11.2. Descrição física do equipamento
11.2.1. Componentes
SmartLPR® Power Process Unit trata-se de um único módulo compacto, a seguir
destacamos
alguns elementos:
3
2
4
1
4
1. Botão de Liga\Desliga
2. Alimentação
3. Conexão RJ45 ethernet
4. Abas de fixação
5. Cabo de alimentação.
11.2.2. Instalação elétrica
Voltagem
Corrente alternada
220V
Consumo
70W
11.2.3. Cabeamento
A cada equipamento SmartLPR® Power Process Unit devem ser conectados os seguintes cabos:
●
Cabo de alimentação: 2 x 2,5 mm2 de seção.
●
Cabo de rede: cabo UTP categoria 5 com conector RJ-45.
11.3. Firmware
Damos o nome de “firmware” ao software executado internamente no próprio módulo.
Cada módulo está preconfigurado com seu endereço de IP igual a 192.168.1.2xy, onde "xy"
representa as duas últimos dígitos do número de série da unidade. Por exemplo, um módulo
com número de série 08220100718001 terá como endereço de IP 192.168.1.191.
75
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Apêndices
O número serial do módulo está em uma etiqueta localizada na carcaça do equipamento.
Para acessar o sistema de configuração, basta utilizar um navegador web e digitar o endereço
http://<ip do módulo>). O funcionamento é similar ao das unidades SmartLPR ®, pois em esse
manual somente se detalha as variáveis de configuração. Em caso de dúvidas, consulte
qualquer manual da família SmartLPR®.
11.3.1. Variáveis
11.3.1.1. Communications
●
ClientIP 1..20: Endereço IP de cada uma das unidades SmartLPR ® com as quais o
módulo se comunicará. Cada módulo permite ter até 20 unidades configuradas. Em
caso de não haver a necessidade de utilizar todas, deixar os campos restantes em
branco.
●
Gateway: porta de ligação para a saída para Internet. Dever-se-á usar caso uma o mais
unidades estejam fora da rede local onde se encontra o módulo; caso contrário, podese deixar apontando a "127.0.0.1".
●
HostName: nome do módulo, caso se queira dar-lhe um nome diferente a cada um
deles.
●
ListeningPort: porta pela que a unidade esperará mensagens.
●
IP: endereço IP do módulo.
●
NameServer1(2,3,4): servidores de DNS. Serão usados no caso dos endereços terem
sido especificados como nomes no lugar de IPs (por exemplo, “example1.quercus.biz”).
Se não desejar usar nomes na configuração pode deixar estes campos apontando a
"127.0.0.1".
●
NetMask: máscara de rede do módulo.
11.3.1.2. Engine
São parâmetros de uso interno do sistema de reconhecimento de placas. Modificando-os
se pode conseguir um melhor índice de reconhecimento em circunstâncias muito especiais.
Nunca se deve modificar qualquer destes parâmetros exceto a pedido do departamento de
suporte da Quercus Technologies.
11.3.1.3. Global
●
LogFilter: cadeia de texto que se estabelecerá como filtro das mensagens que se
querem ver no arquivo de registro. Este filtro permite usar "*" como padrão para
76
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Apêndices
indicar qualquer cadeia de texto. Por exemplo, caso se estabeleça o filtro *Unit*,
somente aparecerão as mensagens nas quais apareça a cadeia Unit. Por predefinição o
filtro está em "*", ou seja, mostram-se todas as mensagens.
●
LogLevel: nível de informação que se mostrará no registro. Possíveis valores:
●
1: Message; serão exibidas todas as mensagens.
●
2: Warning; só serão exibidas as mensagens de aviso ou de erro.
●
3: Error: só serão exibidas as mensagens de erro.
11.4. Instalação passo a passo
11.4.1. Instalação física
Una o módulo a parede
Fixar utilizando os furos das abas laterais.
Conectar os cabos de rede e alimentação
Conectar
o
cabo
de
rede
e
alimentação fornecidos nos terminais
correspondentes da parte traseira do
módulo.
11.4.2. Atualização do software cliente
Esse passo se faz necessário se a integração das unidades com o software cliente será
realizado com a biblioteca de integração fornecida pela Quercus Technologies e a versão
instalada for inferior à 3.2.0.
●
Windows: Substituir o arquivo <pasta_de_instalação>\bin\SA.dll pelo arquivo SA.dll
fornecido pelo departamento de Suporte da Quercus Technologies.
●
Linux: Substituir o arquivo <pasta_de_instalação>\bin\libSA.dll pelo arquivo libSA.dll
77
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Apêndices
fornecido pelo departamento de Suporte da Quercus Technologies.
11.4.3. Configuração do módulo SmartLPR® Power Process Unit
1. Ligar o módulo utilizando o botão traseiro.
2. Com outro computador acesse o sistema de configuração do módulo com um
navegador web digitando o endereço http://<ip do módulo>. Após ter conectado a
unidade, será exibida uma janela onde será solicitada uma senha.
3. Introduza a password ("quercus2" predefinido) e aparecerá o menu principal.
4. Clique na opção "Configuração geral do sistema”.
5. Na variável “Communications/IP” insira o endereço IP que corresponderá o módulo
na rede. Se o módulo e alguma das unidades estão em redes diferentes deverá
modificar
também
as
variáveis
"Communications/Gateway"
e
"Communications/Netmask".
6. Introduza nos campos “Communications/ClientIPx” 6. o endereço IP de cada uma
das unidades SmartLPR® com a qual se comunicará o módulo.
7. Clique no botão “Salvar mudanças”.
8. No menu principal, selecione a opção “Aplicar mudanças e reiniciar”. Será solicitada
a confirmação para reiniciar. Pressione o botão "Aplicar" para aceitar e a unidade
reiniciará com a nova configuração.
11.4.4. Configuração da unidade SmartLPR®
Os seguintes passos deverão ser repetidos para cada unidades SmartLPR ® que se
comunicará com o módulo.
1. Se a unidade está com uma versão inferior a 3.2.0, atualizar a unidade mediante ao
arquivo
LPR320.upd
fornecido
pelo
departamento
de
Suporte
Technologies. Para isso, seguir os passos informados no capítulo
da
Quercus
9.18 Atualizar
firmware do manual da unidade.
2. Altere as novas variáveis que apareceram no menu de configuração.
1. PPU/Host: IP do módulo SmartLPR® Power Process Unit com o qual se
comunicará a unidade.
2. PPU/Port: porta pela qual o sistema central recebe as mensagens das unidades.
3. PPU/Reserved1:
reservado.
Não
modificar
salvo
indicação
expressa
do
departamento de suporte da Quercus Technologies.
4. Recognizer/UsePPU: "1” para habilitar o uso do módulo SmartLPR ® Power
Process Unit configurado na unidade; “0” para dehabilitar (funcionamento
78
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Apêndices
padrão).
3. Atribuir à variável Recognizer/MaxRecognizerTime um valor entre 1500 e 2500. Sua
alteração
não
é
imprescindível,
porém
se
recomenda
aplicar
para
melhor
desempenho.
4. Clique no botão “Salvar mudanças”.
5. No menu principal, selecione a opção “Aplicar mudanças e reiniciar”. Será solicitada
a confirmação para reiniciar. Pressione o botão "Aplicar" para aceitar e a unidade
reiniciará com a nova configuração.
11.5. Especificações técnicas
Produto
SmartLPR Power Process Unit
Referência
07000200
Dimensões
Altura
65 mm
Largura
320 mm
Profundidade
200 mm
Peso
4800 g
Alimentação
Tensão de entrada
240V AC
Consumo
70 W
Condições de ambiente operacional
Faixa de temperatura
0 - 40 ºC
Faixa de umidade
0-80% sem condensação
Vibração máxima
0.5 G, 5~500 Hz
Impacto
15 G a 11 m/s
79
12. Apêndice B: especificações técnicas
As especificações técnicas SmartLPR® Speed e SmartLPR® Speed Plus são idênticas exceto que SmartLPR ® Speed é limitado a reconhecer as placas de 5
países simultaneamente enquanto SmartLPR® Speed Plus não têm essa limitação. Por conseguinte, estão mostrados juntos nas tabelas.
Alimentação
AC
DC
Reconhecimento
ilimitado
Controle de
temperatura
07000063
SmartLPR Speed Plus DC
07000065
●
SmartLPR Speed DC CT
07000064
●
SmartLPR Speed Plus DC CT
07000066
SmartLPR Speed AC
07000068
SmartLPR Speed Plus AC
07000069
●
●
●
●
●
●
Referência
SmartLPR Speed DC
●
●
Nome
●
Para as instalações elétricas de equipamentos, recomendamos que calcule um consumo acima dos valores especificados na ficha técnica para prevenir
eventuais picos que podem exceder esses valores.
12.1. Modelos de corrente contínua
Produto
Referência
SmartLPR® Speed DC
SmartLPR® Speed DC CT
SmartLPR® Speed Plus DC
SmartLPR® Speed Plus DC CT
07000063 / 07000065
07000064 / 07000066
Dimensões
Altura
190 mm
Largura
195 mm
Profundidade
350 mm
Alimentação
Tensão de entrada
12V DC
Consumo
12 W
52 W
Certificações
CE: EMC Pertubações radioeléctricas
EN 55022:2006+A1:2007
CE: EMC Imunidade
EN 55024:1998+A1:2001+A2:2003
FCC
Class A digital devices / FCC rules: 47CFR (parts 2 and 15)
Conectividade
Portas de comunicação
Ethernet 100Mbps, RS-232
Entradas
2 de contato seco
Saídas
8 de potência
Tensão das saídas
12 V DC
Corrente máxima por saída
200 mA
Imagem
Resolução
752x480
Foco
Classificação conforme UNE-EN
Grupo de Risco 1
62471:2009
Temperatura
Temperatura de trabalho
-25ºC - 60ºC
Gabinete
Grau de proteção
IP67
Cor
RAL 9002
-40ºC - 60ºC
12.2. Modelos de corrente alternada
Produto
SmartLPR® Speed AC
SmartLPR® Speed Plus AC
Referência
07000068 / 07000069
Dimensões
Altura
190 mm
Largura
195 mm
Profundidade
350 mm
Alimentação
Tensão de entrada
85 – 264 V AC (47-63 Hz)
Consumo
15 W
Certificações
CE: EMC Pertubações radioeléctricas
EN 55022:2006+A1:2007
CE: EMC Imunidade
EN 55024:1998+A1:2001+A2:2003
FCC
Class A digital devices / FCC rules: 47CFR (parts 2 and 15)
Conectividade
Portas de comunicação
Ethernet 100Mbps, RS-232
Entradas
2 de contato seco
Saídas
8 de potência
Tensão das saídas
12 V Dc
Corrente máxima por saída
200 mA
Imagem
Resolução
752x480
Foco
Classificação conforme UNE-EN 62471:2009
Grupo de Risco 1
Temperatura
Temperatura de trabalho
-25ºC - 60ºC
Gabinete
Grau de proteção
IP67
Cor
RAL 9002
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Apêndices
13. Apêndice C: Certificações CE
Os produtos com certificação CE (veja a secção 12 Apêndice B: especificações técnicas) têm a
categoria de classe A. Em um ambiente doméstico, este produto pode provocar interferência
de rádio e, nesse caso, o usuário pode ter que executar as medidas adequadas para corrigir
essa interferência.
83
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Apêndices
84
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Apêndices
85
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Apêndices
14. Apêndice D: certificação FCC
Estes equipamentos (veja a secção 12 Apêndice B: especificações técnicas) foram testados e
considerados conforme com os limites estabelecidos para um dispositivo digital de Classe A, de
acordo com a parte 15 das normas FCC. Estes limites são definidos para garantir proteção
razoável contra interferências prejudiciais quando o equipamento é operado em um ambiente
comercial.
Estes equipamentos geram, utilizam e podem irradiar energia de radiofreqüência e, se não
forem instalados e utilizados de acordo com as instruções, pode causar interferências nocivas
nas radiocomunicações. O funcionamento destes equipamentos numa área residencial pode
causar interferência prejudicial, neste caso o usuário deve corrigir a interferência por sua
própria conta.
86
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Apêndices
87
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Apêndices
88
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Apêndices
89
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Apêndices
15. Apêndice E: em caso de avaria
Contate o departamento de apoio técnico da Quercus Technologies. Esse departamento lhe
ajudará a verificar se, efetivamente, trata-se de uma avaria ou não (pode se tratar de um
ajuste errado, configuração incorreta, etc.). Se a avaria for confirmada, o procedimento é o
seguinte:
1. Verifique,
conjuntamente
com
o
departamento
de
apoio
técnico
da
Quercus
Technologies, a avaria do equipamento.
2. Substitua os componentes avariados pelas peças sobressalentes. Recomenda-se dispor
sempre de, no mínimo, uma unidade de troca de cada componente do equipamento.
3. Contate o departamento comercial da Quercus Technologies para que as peças
avariadas sejam substituídas, se ainda estiverem na garantia. Se o equipamento já não
se encontra na garantia, o departamento comercial da Quercus Technologies lhe
preparará uma oferta com os preços dos componentes a substituir ou reparar.
90
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Apêndices
16. Apêndice F: suporte
Se tiver qualquer dúvida na configuração ou no uso do SmartLPR® Speed, não hesite em
entrar em contato com nosso departamento de Suporte:
●
EUA: +1 201 227 2020
●
Brasil e LATAM: +55 (11) 2614 3006 (Ramal 21)
●
EMEA e Asia: +34 977 300 377
O por email: [email protected]
Visite nossas webs:
●
www.quercus.biz
●
www.quercus-technologies.com
●
www.quercus.com.br
91
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Apêndices
17. Apêndice G: valores de [Global] TimeZone
África/Bamako
África/Bangui
África/Banjul
África/Lome
África/Asmeira
África/Bissau
África/Algiers
África/Johannesburg
África/Douala
África/Ndjamena
África/Harare
África/Kinshasa
África/Accra
África/Cairo
África/Ceuta
África/Dacar
África/Lagos
África/Tunis
África/Lubumbashi
África/Kigali
África/Malabo
África/Maputo
África/Maseru
África/Porto-Novo
África/Monrovia
África/Luanda
África/Lusaka
África/Niamey
África/Freetown
África/Windhoek
África/Kampala
Africa/Gaborone
África/Conacri
Africa/Mogadishu
Africa/Brazzaville
Africa/Timbuktu
África/Addis_Abava
Africa/Bujumbura
Africa/Nouakchott
Africa/Casablanca
Africa/Mbabane
África/O_Aaiun
Africa/Libreville
África/Dar_é_Salaam
Africa/Ouagadougou
Africa/Khartoum
Africa/Nairobi
África/São_Tome
Africa/Tripoli
Africa/Abidjan
Africa/Djibouti
Africa/Blantyre
América/México_City
America/Adak
America/Atka
America/Belize
America/Lima
America/Nome
America/Cancun
America/Cayman
America/Bogota
America/Dawson
America/Denver
América/Cuiava
América/Antiga
America/Havana
America/Belem
América/Aruba
America/Boise
America/Thunder_Bay
America/Guatemala
America/Guyana
America/Jujuy
America/Inuvik
America/Thule
America/Rankin_Inlet
America/Juneau
America/La_Paz
America/Maceio
America/Manaus
América/Mérida
America/Guayaquil
América/Montréal
America/Nassau
America/Cambridge_Bay
America/Phoenix
America/Panama
America/Puerto_Rico
America/Caracas
America/Cayenne
America/Jamaica
America/Porto_Acre
America/Recife
America/Regina
America/Indiana/Knox
America/Indiana/Vevay
America/Indiana/Marengo
America/Indiana/Indianapolis
América/Bons_Ares
America/Danmarkshavn
America/Mazatlan
America/Iqaluit
América/Jiboia_Vista
America/Virgin
America/Chicago
America/Ensenada
America/Catamarca
America/Costa_Rica
América/Força
America/St_Johns
America/St_Kitts
America/Miquelon
América/St_Lucía
America/Port-au-Prince
America/Vancouver
America/Porto_Velho
America/Winnipeg
America/Martinique
América/Córdova
America/Whitehorse
America/New_York
America/Glace_Bay
America/Yakutat
America/Detroit
America/Louisville
America/Grand_Turk
America/Fort_Wayne
America/Goose_Bay
America/Yellowknife
America/Curacao
America/Hermosillo
America/Tegucigalpa
America/Paramaribo
America/Scoresbysund
America/Swift_Current
America/Kentucky/Louisville
America/Kentucky/Monticello
America/Knox_IN
America/Anchorage
America/Eirunepe
America/Rosario
America/Barbados
America/Dawson_Creek
América/Manágua
America/Pangnirtung
América/Assunção
America/Menominee
America/St_Thomas
América/São_Paulo
America/Mendoza
America/Guadeloupe
America/Monterrey
America/North_Dakota/Center
America/Araguaina
America/Port_of_Spain
America/Shiprock
América/Anguilha
America/Dominica
America/Edmonton
America/Rio_Branco
America/Tijuana
America/Montevideo
America/Santiago
América/Rola
América/Os_Anjos
America/Nipigon
America/Rainy_River
América/O_Salvador
America/Halifax
America/Santo_Domingo
America/St_Vincent
America/Indianapolis
America/Godthab
America/Montserrat
America/Chihuahua
America/Noronha
America/Grenada
Antarctica/Casey
Antarctica/Davis
Antarctica/Syowa
Antarctica/Mawson
Antarctica/Palmer
Antarctica/Vostok
Antartica/Rotheira
Antarctica/DumontDUrville
Antarctica/McMurdo
Antarctica/South_Pole
Arctic/Longyearbyen
Asia/Almaty
Asia/Anadyr
Ásia/Adem
Asia/Baku
Asia/Dili
Ásia/Beirute
Asia/Gaza
92
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Asia/Hovd
Asia/Omsk
Asia/Oral
Asia/Aqtobe
Asia/Brunei
Ásia/Baghdade
Ásia/Bahrein
Ásia/Banguecoque
Asia/Makassar
Asia/Vladivostok
Asia/Harbin
Ásia/Ammam
Asia/Aqtau
Asia/Dacca
Asia/Dhaka
Asia/Dubai
Asia/Yekaterinburg
Asia/Kabul
Ásia/Macau
Ásia/Macau
Asia/Calcutta
Asia/Qatar
Asia/Seoul
Asia/Tokyo
Asia/Kuwait
Asia/Manila
Asia/Bishkek
Asia/Muscat
Asia/Jakarta
Ásia/Riade
Asia/Saigon
Asia/Taipei
Ásia/Tehram
Asia/Thimbu
Asia/Choibalsam
Asia/Urumqi
Asia/Irkutsk
Asia/Karachi
Asia/Kashgar
Asia/Ulan_Bator
Asia/Colombo
Asia/Rangoon
Asia/Krasnoyarsk
Asia/Ashkhabad
Asia/Yakutsk
Asia/Istanbul
Asia/Tashkent
Asia/Singapore
Asia/Yerevan
Asia/Jayapura
Asia/Samarkand
Asia/Ashgabat
Asia/Riyadh87
Asia/Riyadh88
Asia/Riyadh89
Asia/Pontianak
Asia/Kuching
Asia/Magadan
Ásia/Xangai
Asia/Pyongyang
Asia/Jerusalem
Asia/Kuala_Lumpur
Asia/Tbilisi
Asia/Hong_Kong
Asia/Dushanbe
Asia/Damascus
Asia/Sakhalin
Asia/Thimphu
Asia/Chungking
Asia/Kamchatka
Asia/Nicosia
Asia/Ujung_Pandang
Asia/Chongqing
Asia/Tel_Aviv
Asia/Novosibirsk
Asia/Vientiane
Asia/Qyzylorda
Asia/Phnom_Penh
Asia/Ulaanbaatar
Asia/Katmandu
Atlantic/Canary
Atlantic/Açores
Atlantic/Faeroe
Atlantic/Bermuda
Atlantic/Reykjavik
Atlantic/Jam_Mayem
Atlantic/Cape_Verde
Atlantic/St_Helena
Atlantic/Madeira
Atlantic/Stanley
Atlantic/South_Georgia
Australia/ACT
Australia/LHI
Australia/NSW
Australia/West
Australia/Darwin
Australia/Hobart
Australia/North
Australia/Perth
Australia/South
Australia/Canberra
Australia/Melbourne
Australia/Sydney
Australia/Adelaide
Austrália/Tasmânia
Austrália/Brokem_Hill
Australia/Lord_Howe
Australia/Yancowinna
Austrália/Vitória
Austrália/Lindemam
Australia/Queensland
Australia/Brisbane
Brazil/Acre
Brazil/East
Brazil/West
Brazil/DeNoronha
Canada/Pacific
Canada/Yukon
Canada/Mountain
Canada/Central
Canada/Eastern
Canada/Newfoundland
Canada/East-Saskatchewan
Canada/Atlantic
Canada/Saskatchewan
Chile/EasterIsland
Chile/Continental
Etc/GMT
Etc/UCT
Etc/UTC
Etc/GMT0
Etc/Zulu
Etc/GMT+10
Etc/GMT+11
Etc/GMT+12
Etc/GMT-10
Apêndices
Etc/GMT-11
Etc/GMT-12
Etc/GMT-13
Etc/GMT-14
Etc/Universal
Etc/GMT+0
Etc/GMT+1
Etc/GMT+2
Etc/GMT+3
Etc/GMT+4
Etc/GMT+5
Etc/GMT+6
Etc/GMT+7
Etc/GMT+8
Etc/GMT+9
Etc/GMT-0
Etc/GMT-1
Etc/GMT-2
Etc/GMT-3
Etc/GMT-4
Etc/GMT-5
Etc/GMT-6
Etc/GMT-7
Etc/GMT-8
Etc/GMT-9
Etc/Greenwich
Europe/São_Marinho
Europe/Kiev
Europe/Berlim
Europe/Oslo
Europe/Riga
Europe/Rome
Europe/Athens
Europe/Luxembourg
Europe/Dublin
Europe/Andorra
Europe/Vilnius
Europe/Belgrade
Europe/Belfast
Europe/Chisinau
Europe/Malta
Europe/Minsk
Europe/Paris
Europe/Sofia
Europe/Vaduz
Europe/Brussels
Europe/Lisbon
Europe/Madri
Europe/Bratislava
Europe/London
Europe/Kaliningrade
Europe/Mônaco
Europe/Moscow
Europe/Prague
Europe/Stockholm
Europe/Samara
Europe/Skopje
Europe/Tirane
Europe/Vienna
Europe/Warsaw
Europe/Budapeste
Europe/Simferopol
Europe/Zagreb
Europe/Zurique
Europe/Bucharest
Europe/Istanbul
Europe/Amesterdão
Europe/Copenhagem
93
Manual do usuário do SmartLPR ® Speed
Europe/Uzhgorod
Europe/Tiraspol
Europe/Talhin
Europe/Helsinque
Europe/Sarajevo
Europe/Zaporozhye
Europe/Nicósia
Europe/Gibraltar
Europe/Ljubljana
Europe/Vaticam
Indian/Mahe
Indian/Chagos
Indian/Comoro
Indian/Kerguelen
Indian/Maldives
Indian/Cocos
Indian/Christmas
Indian/Mauritius
Indiam/Reunião
Indian/Antananarivo
Indian/Mayotte
Mexico/BajaSur
Mexico/BajaNorte
Mexico/General
Mideast/Riyadh87
Mideast/Riyadh88
Mideast/Riyadh89
Pacific/Yap
Pacific/Apia
Pacific/Fiji
Pacific/Guam
Pacific/Niue
Pacific/Truk
Pacific/Wake
Pacific/Easter
Pacific/Pago_Pago
Pacific/Efate
Pacific/Nauru
Pacific/Palau
Pacific/Samoa
Pacific/Kosrae
Pacific/Majuro
Pacific/Midway
Pacific/Honolulu
Pacific/Guadalcanal
Pacific/Noumea
Pacific/Ponape
Pacific/Saipan
Pacific/Pitcairn
Pacific/Tahiti
Pacific/Tarawa
Pacific/Chatham
Pacific/Johnston
Pacific/Wallis
Apêndices
Pacific/Galapagos
Pacific/Kwajalein
Pacific/Tongatapu
Pacific/Fakaofo
Pacific/Auckland
Pacific/Gambier
Pacific/Rarotonga
Pacific/Funafuti
Pacific/Port_Moresby
Pacific/Marquesas
Pacific/Enderbury
Pacific/Kiritimati
Pacific/Norfolk
US/Alaska
US/Pacific
US/Havaí
US/Samoa
US/Michigam
US/Arizona
US/Mountain
US/Central
US/East-Indiana
US/Aleutiam
US/Eastern
US/Indiana-Starke
94